CoronaVac: efetividade varia de 61,8% a 28% em idosos a partir dos 70 anos, diz pesquisa

Segundo estudo preliminar, proteção cai conforme aumenta a idade e administração de apenas uma dose da vacina não confere imunidade
-Publicidade-
CoronaVac: novo estudo avaliou o desempenho do imunizante
CoronaVac: novo estudo avaliou o desempenho do imunizante | Foto: Antonio Molina/Fotoarena/Estadão Conteúdo

De acordo com pesquisa preliminar divulgada nesta sexta-feira, 21, a efetividade da vacina CoronaVac cai conforme aumenta a idade e varia de 61,8% a 28% a partir dos 70 anos. O estudo ainda afirma que o imunizante não confere proteção com apenas uma dose.

O trabalho avaliou o desempenho da vacina em pessoas de 70 anos ou mais vacinadas no Estado de São Paulo, entre janeiro e o fim de abril. Nessa época, a variante P.1 já era predominante. Dados de 15.900 pessoas com suspeita de covid foram analisados para calcular a taxa de proteção. O artigo mostra que existe uma redução da efetividade conforme aumenta a idade, o que, segundo os pesquisadores, ocorre com o imunizante contra a gripe “e é esperado que ocorra em outras vacinas”.

A efetividade encontrada foi de 61,8% na faixa etária dos 70 aos 74 anos; de 48,9% nas pessoas de 75 a 79 anos; e de 28% nos idosos acima dos 80 anos. A média de efetividade foi de 42%, na totalidade do grupo. Um estudo do tipo, realizado no Chile e divulgado no mês passado, e que indicou 80% de proteção contra mortes e 85% contra hospitalizações, conforme noticiou Oeste, não trazia informações detalhadas por faixa etária.

-Publicidade-

Leia também: “CoronaVac tem 80% de eficácia contra morte, revela pesquisa do Chile”

O estudo sobre o Brasil ainda traz o dado de que a CoronaVac não conferiu nenhuma proteção com apenas uma dose, informação especialmente preocupante, em face do alto número de brasileiros que ainda não completaram o esquema vacinal, conforme reportou o jornal O Estado de S. Paulo, nesta sexta-feira, 21.

O trabalho, realizado pelo Vebra Covid-19, grupo que reúne pesquisadores brasileiros e estrangeiros de instituições como Fiocruz e Instituto Global de Saúde de Barcelona para avaliar a efetividade das vacinas em uso no Brasil, foi publicado na plataforma MedRxiv e ainda não passou pela revisão de outros cientistas. Em comunicado à imprensa, o grupo informou que os dados de efetividade da CoronaVac contra casos graves e mortes em idosos a partir de 70 anos ainda estão em análise.

Leia também: “CoronaVac tem 98% de eficácia na prevenção de mortes, aponta estudo feito na Indonésia”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Eu tomo ivermectina mensalmente, 1 comp. por cada 30kg de peso. Acredito mais nos médicos brasileiros que adoram essa terapia que nos 50% de eficácia que podem virar 28% nos velhinhos.

  2. Olha que genial essa vacina, fornece menos proteção à quem mais precisa. O Fiuza tem razão, essa vacina é uma quase fraude, quando é vendida como salvação. Ela pode ser uma como uma das ferramentas de prevenção, mas não podemos descuidar do tratamento preventivo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.