-Publicidade-

Coronavírus: europeus protestam contra restrições

"Agora, as pessoas estão morrendo, morrendo de fome, não podem trabalhar", relata estudante belga
Manifestantes em Bruxelas, Bélgica | Foto: Divulgação/Redes Sociais
Manifestantes em Bruxelas, Bélgica | Foto: Divulgação/Redes Sociais
Manifestantes em Bruxelas, Bélgica | Foto: Divulgação/Redes Sociais

Europeus demonstram insatisfação com as medidas de restrição impostas sob o pretexto de conter o avanço da covid-19. Na semana passada, uma manifestação foi dispersada em Amsterdã. No domingo 31 de janeiro, 5 mil austríacos se reuniram em um protesto não autorizado no centro de Viena. Na mesma data, mais de 200 cidadãos belgas foram presos em Bruxelas durante um ato pacífico contra o isolamento forçado. Na Eslovênia, o fechamento de escolas em duas regiões do país marcado para começar ontem, segunda-feira 1º, gerou protestos feitos por pais de alunos.

“Estou aqui porque acho que não está certo, não é normal o que está acontecendo”, disse uma estudante belga ao Euronews. “Agora, as pessoas estão morrendo, morrendo de fome, não podem trabalhar e ganhar dinheiro.”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Que o estado forneça as refeições gratuitamente para todos através de cupons de racionamento. Pelo menos não morrerão de fome.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês