Vacina chinesa ou do Butantan?

Princípio ativo vem da China, e o envase é do Butantan
-Publicidade-
O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas | Foto: Reprodução/Redes Sociais
O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Princípio ativo vem da China, e o envase é do Butantan

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Na segunda-feira 14, Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, concedeu entrevista ao jornal Valor Econômico para explicar a composição da CoronaVac. Embora seja desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, Covas garantiu que o imunizante é produzido no Brasil. “Na realidade, o que recebemos da China é a matéria-prima da vacina. Os demais insumos são do Butantan”, justificou. “O que compõe toda a vacina, com exceção do princípio ativo, é do Butantan: frasco, rótulo, processo de formulação, processo de controle de qualidade, registro, definição de farmacêutico responsável e a bula. Tanto que a vacina não é chinesa, é do Butantan”, disse.

-Publicidade-

Leia também: “Anvisa: critérios chineses para aprovação de vacina ‘não são transparentes”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários

  1. Basta ler o contrato que a CNN mostrou para ver lá que a propriedade intelectual é da Sinovac. Um mentiroso patológico que nem o seu patrão

  2. Depois da pífia cobertura da fraude eleitoral nos EUA, Oeste nos “brinda” com essa nota telegráfica que mais parece lobby disfarçado da Coronavac. Façam jornalismo, senhores. Investiguem e contextualizem. Não precisamos de um Antagonista 2.0.

  3. Esses canalhas desses comunistas destroem até com a reputação de um antigo e bem conceituado laboratório como esse Butantã para conseguir, ou ao menos tentar atingir seus objetivos. Conseguirão vacinar muitos malucos por aí, neste país e em particular em São Paulo, o que não falta é maluco. Como convencer uma pessoa sadia que essa vacina é fruto da pesquisa do Butantã? Desde quando esse instituto está imerso em pesquisa sobre esse vírus? Onde estão as verbas estaduais que foram gastas com essa pesquisa? Tem como provar isso? Não tem, porque essas pesquisas são inexistentes. O que eles são é como eu já disse aqui: São apenas envasadores do produto que já vem pronto da china e o nome do laboratório fornecedor do produto acabado se chama SinoVac. Para um bom entendedor, o radical “Sino”, significa chinês e na embalagem do produto tem até os caracteres incompreensíveis desse pessoal aí.

  4. Então nosso glorioso e mundialmente conhecido Instituto Butantã, pesquisador e desenvolvedor de vacinas, somente embala e distribui essa vacina chinesa? É como engarrafar, comercializar e distribuir. Para que precisa de tantos cientistas?
    Para esse serviço não bastava entregar a um laboratório farmacêutico?

  5. Mais um coveiro tentando enterrar o povo (o primo já tinha até os caixões comprados)…
    Aí ele vem, instruído pelo chefinho covidoria, que diga-se de passagem deve estar levando uns 2 bilhões de comissão da chinesada para empurrar a vachina, ele vem dizer que a vachina não é da china…ora, ora…
    Conta com a burrice da bugrada toda…. é ou não é?
    Mermão…o princípio ativo é que manda na bagaça do remédio… é por isso que tem esse nome , ativo, por que é o que faz efeito! Se isso vem lá da chinesada, então é vachina sim senhor!
    Mas tu quer enganar os trouxas né?
    Vamos dizer que é do butantan… porque se disser que é xing ling não vai pegar bem…se pegar, a comissão tá garantida, e talvez dê tempo de vacinar os otários antes do carnaval!
    Afinal as receitas do carnaval para o cofrinho do OESP não se pode abrir mão… só porque ninguém sabe que mxrda de reação vai dar nessa galera toda não é razão para perder os bilhões de arrecadação com a festa do Momo…
    Está claro? Ou precisa desenhar?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro