Covid-19: ‘Aumento de casos é bem mais ameno’, diz secretário de SP

Levantamento feito por Oeste mostra que o Estado tem menos casos e mortes pela doença
-Publicidade-
Começou hoje no Estado de São Paulo a aplicação da quarta dose da vacina contra a covid-19 para pessoas a partir de 50 anos
Começou hoje no Estado de São Paulo a aplicação da quarta dose da vacina contra a covid-19 para pessoas a partir de 50 anos | Foto: Ilustração/Redes sociais

As autoridades de saúde voltaram a “recomendar” o uso de máscaras em locais fechados em alguns Estados do país, sob a justificativa do aumento de casos de covid-19.

Para Luiz Carlos Zamarco, secretário municipal da Saúde da capital paulista, o crescimento de casos na cidade é “bem mais ameno e discreto”, em comparação ao aumento de contaminações em janeiro.

No começo de maio, o município tinha uma média de 4% de casos positivos. Agora, o número chegou a 18% dos testes realizados. “Demonstra um aumento significativo, em uma curva lenta, diferente do que aconteceu em janeiro, quando tivemos um crescimento da curva em exponencial. Essa alta agora foi bem mais amena, bem mais discreta, mas está subindo”, destacou Zamarco, em entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, nesta segunda-feira, 6.

-Publicidade-

Ainda segundo o secretário, a maior parte dos casos positivos é registrada nas pessoas com mais de 50 anos, “sobretudo nos idosos com 70 anos ou mais”, explicou.

São Paulo tem menos casos e mortes

De acordo com dados do governo estadual, cerca de 240 mil novas contaminações por coronavírus foram notificadas em março de 2022. Em maio, os registros de casos somaram pouco mais de 120 mil.

Quando o ex-governador paulista João Doria (PSDB) suspendeu o uso de máscaras (17 de março), a média móvel de sete dias registrava 1,1 mil leitos de UTI ocupados em razão da covid-19 no Estado.

No dia em que o Comitê voltou a recomendar as máscaras (31 de maio), a média móvel de internações em UTI por covid nos últimos sete dias estava 35% menor, marcando 729.

Confira aqui o levantamento feito por Oeste.

“Estão querendo impor um terror, um pânico desnecessário novamente”, disse o médico infectologista Francisco Cardoso.

“O governo de São Paulo tirou as máscaras em março, passamos março e abril com casos em queda, e agora voltou muito em razão do clima frio, e estão se contaminando os que não se infectaram ainda”, explicou Cardoso.

No mês de abril, também foram registradas menos mortes — pouco mais de mil, contra 2,9 mil em março, mês da liberação do uso da máscara.

Estado começa a aplicar quarta dose

Começou hoje no Estado de São Paulo a aplicação da quarta dose da vacina contra a covid-19 para pessoas a partir de 50 anos e profissionais de saúde adultos, independentemente da idade.

Somente na capital paulista, cerca de 1,5 milhão de pessoas têm direito a reforçar a imunização contra o novo coronavírus. O público-alvo atendido pelas novas etapas da vacinação é composto de 943 mil pessoas entre 50 e 60 anos, além de cerca de 600 mil profissionais da área de saúde.

Para receber esse novo reforço, é preciso ter tomado a vacina anterior há pelo menos quatro meses.

Leia também: “O surreal baile de máscaras”, reportagem publicada na edição 104 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. As máscaras de pano com 0,2% de eficácia estão de volta! O pessoal do “fica em casa, a economia a gente vê depois” estão querendo voltar!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.