Em Joinville, calçada desaba e pessoas caem em rio

Pelo menos 30 pessoas tiveram ferimentos leves e foram levadas a hospitais da cidade catarinense; veja vídeos do acidente
-Publicidade-
Calçada cedeu em Joinville (SC) e 30 pessoas ficaram feridas, nenhuma com gravidade
Calçada cedeu em Joinville (SC) e 30 pessoas ficaram feridas, nenhuma com gravidade | Foto: Divulgação/Prefeitura de Joinville

Durante uma festa de Natal em Joinville (SC), na noite de segunda-feira 22, parte da estrutura de uma calçada que fica na Avenida Beira-Rio cedeu e dezenas de pessoas que acompanhavam a cerimônia caíram em um rio.

Segundo informações da prefeitura de Joinville, não houve vítimas graves. Pelo menos 30 pessoas caíram no rio. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados imediatamente e fizeram o resgate.

O Hospital Infantil de Joinville informou que recebeu pelo menos 11 crianças, todas com escoriações leves, que já passam bem. Dezenove adultos foram atendidos no Hospital Municipal de São José de Joinville.

-Publicidade-

Em nota, a prefeitura da cidade catarinense informou que as investigações sobre o caso já começaram e que “todas as pessoas que precisaram de atendimento foram socorridas e estão sendo assistidas em unidades de saúde”.

A calçada que desabou passa sobre uma galeria fluvial, que faz parte das obras de drenagem do centro da cidade, de acordo com a prefeitura. Técnicos da Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Infraestrutura realizaram uma vistoria no local durante a madrugada, e a estrutura da galeria está intacta.

Os bombeiros deslocaram para o local quase 20 profissionais, além de três ambulâncias e três carros de apoio para o atendimento das vítimas. Também participaram dos trabalhos de resgate socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e da Defesa Civil.

Apesar do grave acidente, o evento natalino continuou na noite de ontem.

Assista a vídeos do momento do desabamento da calçada

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Tiveram muita sorte que não chovia no momento do acidente quando seriam tragados pela correnteza da enxurrada. Não sei como essas obras são feitas, se tem algum responsável técnico ou se são tocadas de qualquer maneira por algum pedreiro.

    1. O rio que cruza o centro da cidade, local do acidente, é o Cachoeira. Ocorre que a cidade tem uma altitude média muito baixa, e o rio fica praticamente ao nível do mar, sujeito a marés, inclusive. Então, enchentes no centro são comuns desde que a cidade existe, ainda mais quando a maré é acompanhada de chuva forte. Não existe uma solução simples e, para complicar, o assunto virou promessa de campanha já há muitos anos. Aquele tipo de obra que começa, e nunca termina (quando não é mal feita).

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.