Exército dos Estados Unidos participa de exercício militar no Brasil

Decreto autorizando a presença das Forças Armadas dos EUA em território brasileiro foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro
-Publicidade-
240 militares norte-americanos vão chegar ao país em novembro
240 militares norte-americanos vão chegar ao país em novembro | Foto Divulgação/Maydonoz Org

O governo federal autorizou que militares dos Estados Unidos (EUA) entrem em território brasileiro para um exercício militar entre os dois países. O decreto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, foi publicado nesta quinta-feira, 14, no Diário Oficial da União.

Cerca de 240 militares norte-americanos ficarão no país de 28 de novembro a 18 dezembro. O exercício militar ocorrerá na região do Vale do Paraíba, entre os municípios de Lorena (SP) e Resende (RJ), na área que fica Academia Militar das Agulhas Negras.

O exército dos EUA também foi autorizado a transportar “armamentos, acessórios, munições, equipamentos de comando, controle e comunicação”, informou o decreto.

-Publicidade-

Leia também: “Ataque com arco e flecha deixa mortos e feridos na Noruega”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. Acredito que esses exercícios com forças militares de potências ocidentais seja o melhor caminho para que as nossas forças se mantenham atualizadas e prontas para atuar em operações conjuntas. O mundo está, novamente, polarizado, e o Ocidente, paradoxalmente, está se dividindo, com a União Europeia planejando se distanciar da OTAN. A hora é de cooperar para sobreviver.

  2. Daqui a pouco algum partido de esquerda vai entrar com pedido no STF para impedir que eles venham. Aff, esse pessoal é muito chato!

  3. Isso devia se realizar na amazônia onde será o palco mais provável para algum conflito mais sério que possa ocorrer e não no eixo Rio-São Paulo. Não sou nenhum general mas tenho um pouco de bom senso a menos que tudo não passe de mais uma brincadeirinha dos milicos.

      1. Rapaz! Não sabia disso. Pelo visto não entendeu nada do que eu disse, porém não vou perder meu tempo com você, JÊNIO!

    1. Interessante a forma do brasileiro de dar “pitaco” onde não tem conhecimento algum do que esta acontecendo ou por quais motivos. putz Paulo, quando não souber o que falar, o silencio é uma arte, amigo.

    2. Prezado, justamente por ser o ponto de maior interesse externo, é melhor manter “futuros opositores”, possíveis interessados numa ocupação da área (lembra da HQ de super-hérois tratando sobre a “Guerra Amazônica” – acho que foi um HQ do Super-Man). Quanto menos militares de outros países conhecerem o “teatro de operações” amazônico, melhor! Sem falar que essa operação deve ser uma operação “clássica” (tipo 2ª GM), com isso o terreno da AMAN é mais adequado do que o amazônico!

    3. Errado amigo, guerras geralmente se concentram no centro industrial, economico e de governo de um país, estão fazendo o exercício na regiao correta, invadir a amazonia antes de derrotar a industria e o governo é suicídio.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.