Greve dos ônibus provoca tumulto em Belo Horizonte

Hoje é o primeiro dia de paralisação. A categoria cobra reajuste de salarial de 9% e recomposição das perdas de anos anteriores
-Publicidade-
A greve dos ônibus em Belo Horizonte (MG) começou nesta segunda-feira, 22
A greve dos ônibus em Belo Horizonte (MG) começou nesta segunda-feira, 22 | Foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press

Greve dos ônibus de Belo Horizonte, em Minas Gerais, tem causado filas e aglomeração nos terminais da capital mineira.

A Justiça do Trabalho havia determinado o mínimo de 60% dos ônibus circulando, no entanto, muitos terminais amanheceram fechados devido a greve dos ônibus.

A paralisação começou nesta segunda-feira, 22. De acordo com o Sindicato dos Rodoviários de BH, entre as reivindicações, a categoria cobra o reajuste salarial de 9%, com a correção dos últimos anos.

-Publicidade-

Os funcionários também pedem vale alimentação de R$ 800, pagamento de abono do ano passado e fim da limitação do passe livre.

A adesão dos trabalhadores à greve ocorre pela falta de reajuste salarial pelo terceiro ano consecutivo. Anteriormente já havia acontecido quatro tentativas de negociação, segundo o sindicato.

Dificuldades logo no início da manhã

De acordo com a rádio Itatiaia, na estação Pampulha, por exemplo, usuários desembarcaram de coletivos das linhas alimentadoras, mas não conseguiram seguir viagem. Com isso, só aumentou no número de passageiros na estação.

Nada de ônibus também na estação Diamante, na região do Barreiro. Por volta das 6h, o interior da estação tinha pouca gente.

Do lado de fora, uma concentração maior, com dezenas de passageiros à espera de coletivos ou que aguardavam para pegar um carro por aplicativo.

60% dos veículos estão circulando, diz sindicato

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, 60% da frota permanece nas ruas devido a uma decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

“Realmente está tendo uma mobilização grande por parte da categoria, mas a nossa intenção é obedecer a determinação do tribunal”, disse o presidente do sindicato, Paulo César.

Ele destacou que uma reunião marcada para a tarde desta segunda-feira, 22, no TRT, pode encerrar o movimento.

“A gente espera uma resposta por parte das autoridades e também dos órgãos competentes para levarmos uma proposta que venha atender os anseios da categoria, que está há mais de dois anos sem reajuste”, explicou.

“Aí a gente vai botar um fim nisso. A intenção nossa é essa e que se resolva o mais rápido possível a greve dos ônibus“, destacou o representante da categoria.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.