Greve faz grupo clamar pela privatização dos Correios

Estatal iniciou paralisação das atividades na noite de ontem
-Publicidade-
Privatização dos Correios é defendida por políticos, empresários e influenciadores digitais | Foto: REPRODUÇÃO/TV TEM
Privatização dos Correios é defendida por políticos, empresários e influenciadores digitais | Foto: REPRODUÇÃO/TV TEM | privatização dos correios - greve

Estatal iniciou paralisação das atividades na noite de ontem

privatização dos correios - greve
Privatização dos Correios é defendida por políticos, empresários e influenciadores digitais
Foto: REPRODUÇÃO/TV TEM
-Publicidade-

Idealizada para marcar posição contra a privatização dos Correios, a greve iniciada ontem ganha efeito contrário. A paralisação serve para que políticos, empresários e influenciadores digitais defendam publicamente a venda da estatal.

Leia mais: “Paulo Guedes lista 4 estatais que ele ‘gostaria de privatizar’”

Secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia até a semana passada, o empresário Salim Mattar tece críticas ao movimento grevista. De acordo com ele, que antes de deixar o governo reforçou o desejo em prol da privatização dos Correios, a ação liderada pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) é meramente política.

O também empresário Flávio Augusto vai além de criticar a greve. Ele registra que a venda da empresa para a iniciativa privada é um sonho. “Um dia, o pesadelo acaba”, afirma por meio de postagem no Twitter.

No meio político, a notícia de mais uma greve faz com que figuras públicas se movimentem em favor do fim da história dos Correios sendo mantidos com dinheiro do contribuinte. Os deputados federais Guiga Peixoto (PSL-SP) e Luiz Lima (PSL-SP) vão nesse sentido. Vereadora paulistana, Janaína Lima (Novo) vai pelo mesmo caminho, assim como o ex-ministro Abraham Weintraub.

Influenciadores digitais

O assunto também entra na pauta de influenciadores digitais. Apresentador da Jovem Pan com mais de 80 mil seguidores no Twitter, Paulo Mathias fala, por exemplo, da recorrência de greves nos Correios. Com 117 mil seguidores na plataforma, perfil criado em homenagem a Margaret Thatcher também se posiciona dessa forma. Por fim, o “libertário” Raphaël Lima, com 80 mil seguidores, ironiza a situação. Afinal, ele afirma que a greve vai ajudar a privatização.

https://twitter.com/Damadeferroofic/status/1295658300684599296

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

  1. O serviço dos Correios é caro e ruim. A privatização é o melhor caminho. A população precisa de serviço de qualidade e não é obrigada a bancar mordomia de funcionário público.
    A greve foi mais um erro dos funcionários dessa empresa. São muito mal assessorados pelo Sindicato (lugar comum).
    Tomara que seja o último prego no caixão.

  2. Eu, como usuário frequente dos correios, por exclusiva falta de alternativa, sei o quanto essa estatal é péssima, em todos os sentidos: morosa, improdutiva, irresponsável e caríssima aos cofres públicos. Fiz uma compra pela internet, e o pedido ficou por 21 dias no CDD (centro de distribuição) de minha cidade. Cansei de ligar e não ser atendido. Quando atendiam, diziam que o objeto saíra para entrega. E nessa “mentirada” toda, lá se foram 21 dias. Eles agem como se donos da empresa fossem.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site