Mapa do Brasil colônia é encontrado em biblioteca de Petrópolis

Objeto tem mais de 200 anos
-Publicidade-
Mapa do século 18 encontrado na Biblioteca Municipal Gabriela Mistral | Foto: Prefeitura de Petrópolis
Mapa do século 18 encontrado na Biblioteca Municipal Gabriela Mistral | Foto: Prefeitura de Petrópolis

Um mapa do Brasil colônia datado de 1757 foi encontrado por uma equipe que trabalha na restauração da Biblioteca Municipal Gabriela Mistral, em Petrópolis, no Rio de Janeiro. O local sofreu danos por causa das fortes chuvas. Entre fevereiro e março deste ano, cerca de 200 pessoas morreram.

Considerada a terceira maior biblioteca do Estado, com cerca de 150 mil volumes, o local teve parte de seu acervo atingido pelas chuvas em fevereiro.

“Na reorganização do acervo, descobrimos itens que estavam fora do catálogo”, disse Diana Iliescu, presidente do Instituto Municipal de Cultura, em nota publicada em 16 de maio. “Em breve, tudo isso estará à disposição do público.”

-Publicidade-

O mapa do século 18 mostra informações sobre a Coroa Portuguesa e da Espanha durante a Guerra Guaranítica — luta dos indígenas Guarani pelas terras próximas ao rio Uruguai, que durou entre 1753 e 1756.

A equipe de conservação da biblioteca também encontrou uma coleção de documentos que descrevem a briga entre Portugal e Inglaterra pela Guiana Inglesa — país localizado na América do Sul —, e outros mapas e livros históricos.

De acordo com a Prefeitura de Petrópolis, todos os documentos foram achados no andar térreo da biblioteca, durante as limpezas realizadas no local.

A equipe suspeita que o mapa e a coleção da Guiana Inglesa pertenciam ao Barão do Rio Branco, José Paranhos, que também é patrono da diplomacia brasileira. Paranhos também já morou em Petrópolis.

Conservação

A equipe que está trabalhando na reorganização da biblioteca e conservação dos materiais é composta de historiadores, especialistas em conservação de documentos, funcionários e frequentadores da biblioteca. A equipa busca recuperar ainda alguns materiais contaminados por fungos.

“Agora, estamos trabalhando na limpeza, conservação curativa e iniciando os trabalhos de restauração”, disse Diana. As chuvas que atingiram o local chegaram a quase dois metros de altura, afetando oito mil objetos que ficavam no térreo da biblioteca. Somente as obras que estavam nos andares superiores não foram afetadas.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.