Operação da PF tenta prender 39 em ação contra o tráfico internacional

No Brasil, agentes estão nas ruas em cinco Estados; PF conta com a colaboração da agência antidrogas dos EUA e da Europol em três países
-Publicidade-
Em dois anos de investigações, a PF apreendeu pelo menos 10 toneladas de cocaína e reteve quase R$ 15 milhões
Em dois anos de investigações, a PF apreendeu pelo menos 10 toneladas de cocaína e reteve quase R$ 15 milhões | Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) iniciou nesta terça-feira, 15, duas grandes operações contra o tráfico internacional de drogas.

Agentes saíram para cumprir, no total, 39 mandados de prisão e 47 de busca e apreensão em cinco Estados e em três países.

Os mandados foram expedidos pela 5ª e pela 10ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. A PF conta com o apoio do Ministério Público Federal (MPF), com a agência de controle e repressão ao narcotráfico dos EUA (DEA, na sigla em inglês) e com a Europol.

-Publicidade-

Em dois anos de investigações, a PF apreendeu pelo menos 10 toneladas de cocaína e reteve quase R$ 15 milhões.

Operação Turfe

Uma das operações, batizada de Turfe, buscava cumprir 20 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso, além de medidas de cooperação policial no Paraguai, Espanha e Emirados Árabes (Dubai).

Em um ano e meio de investigações, a força-tarefa identificou uma quadrilha que levava drogas da Bolívia e da Colômbia para o Rio de Janeiro, de onde era encaminhada para a Europa.

Foram apreendidas, ao longo da investigação, mais de 8 toneladas de cocaína, tanto no Brasil quanto na Europa. Além disso, mais de R$ 11 milhões foram apreendidos.

O nome da operação faz referência a uma das formas de lavagem de capitais da organização criminosa, que é a aquisição e negociação de cavalos de corrida.

Operação Brutium

Já na Operação Brutium, os policiais federais buscavam cumprir 19 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão nos Estados do Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

Em dois anos de investigações, a PF descobriu que uma organização criminosa (com origem no Caribe e que se expandiu para América Central e Holanda) se aliou às duas maiores facções brasileiras para enviar cocaína da Bolívia e do Peru para a Europa.

Com apoio do DEA e das forças de segurança de França, Marrocos, Bélgica e Espanha, a PF apreendeu mais de 2 toneladas de cocaína no Brasil, na Europa e na África, e R$ 3,5 milhões.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.