Paciente vacinado contrai variante Ômicron sem sair do Brasil

Desde o surgimento da cepa, já foram identificados oito casos de contaminações com ela no país
-Publicidade-
A variante Ômicron surgiu em Gauteng, África do Sul
A variante Ômicron surgiu em Gauteng, África do Sul | Foto: Reprodução/Pixabay

O governo paulista confirmou mais um caso de contaminação pela variante Ômicron do coronavírus no Estado. Trata-se de um paciente com 67 anos de idade que não saiu do país recentemente.

Essa é a quarta contaminação pela variante Ômicron confirmada de São Paulo. Nesse último caso, o paciente já havia completado esquema vacinal, e tomou a dose de reforço com Pfizer. Ele está em isolamento domiciliar, e apresenta apenas sintomas leves.

O diagnóstico positivo para a Covid-19 foi no dia 7 de dezembro, com um teste RT-PCR. A amostra foi submetida a sequenciamento genético, confirmando infecção pela variante Ômicron.

-Publicidade-

Contudo, o governo afirma que não é possível confirmar se a situação já configura transmissão local. Todavia, a Vigilância municipal de São Paulo busca as pessoas com quem o homem teve contato. Assim, as autoridades pretendem verificar se é um caso isolado.

Os outros três casos da cepa confirmados no Estado eram de pessoas que tinham viajado para outros países recentemente. Do mesmo modo que na contaminação mais recente, os pacientes estavam completamente vacinados.

Os quatro casos paulistas apresentam sintomas leves. Até o momento, a nova variante Ômicron tem se mostrado bem menos letal que as demais.

A variante Ômicron no Brasil

Desde que houve seu surgimento, oito casos da mutação foram confirmados no Brasil. Quatro deles, são no Estado de São Paulo. Do restante, dois apareceram no Distrito Federal, bem como outros dois no Rio Grande do Sul.

A descoberta da nova cepa

A variante Ômicron foi descoberta no sul do continente africano no fim do mês passado. Todavia, exames feitos pelo Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis da África do Sul revelaram que o patógeno circula naquele país, pelo menos, desde 8 de novembro.

Leia também: “A era do pânico“, artigo de Paula Leal na edição 90 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Mas o infectado já está vacinado e, segundo a ciência, está imunizado, assim o vírus será destruído pelo sistema de defesa tão rápido que ele nem terá chances de transmiti-lo para alguém. Portanto fica a pergunta, pra quê o isolamento????? A vacina não funciona???? O problema não são os não vacinados???? A nossa “ciência” está dando cabeçadas???? Enfim, um monte de questionamentos poderiam ser levantados, mas não se aceita o debate aberto sobre isso no BR, como se o questionamento de fatos não estimulasse a tal da ciência a buscar respostas.

  2. Se não saiu do país. por óbvio que alguém o contaminou, alguns dizem que essa cepa já está a circular pelo mundo antes mesmo do anúncio da médica sul-africana, provavelmente essa nova cepa nem seja originária da África do Sul embora tenha sido reportada a primeira vez por lá. Até agora, o que há de comum com isso é que todos que contraíram, são vacinados pelo menos por duas vezes ou três. Ainda é cedo para se confirmar algo mas vamos acompanhar isso daí com atenção.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.