Revista Oeste - Eleições 2022

PF procura terceiro suspeito por mortes de Dom e Bruno na Amazônia

Foragido, Jeferson da Silva Lima também estaria envolvido nos assassinatos do jornalista inglês e do indigenista
-Publicidade-
Dom Phillips e Bruno Pereira desapareceram em 5 de junho no Vale do Javari
Dom Phillips e Bruno Pereira desapareceram em 5 de junho no Vale do Javari | Foto: Reprodução

A Justiça do Amazonas emitiu na noite de sexta-feira, 17, mandato de prisão contra Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha”. Segundo a Polícia Federal (PF), ele é o terceiro suspeito pelos assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips na região do Vale do Javari, na Amazônia.

Em nota, a Polícia Federal informou que procura Jeferson da Silva Lima com a ajuda de equipes da Polícia Civil (PC) do Estado.

“A PF e a PC continuam envidando esforços na localização e prisão do elemento foragido. Solicita, ainda, àquele que tiver alguma informação que venha contribuir com as buscas, que comuniquem as autoridades imediatamente”, informou a corporação.

-Publicidade-

Duas pessoas já estão detidas em razão do crime no Vale do Javari. Os irmãos Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, e Oseney da Costa de Oliveira estão presos em Atalaia do Norte, a 1.136 quilômetros de Manaus.

Na última quarta-feira, Amarildo da Costa Oliveira confessou a participação no desaparecimento de Dom e Bruno e indicou o local onde os corpos foram enterrados.

Restos mortais identificados

Um exame de arcada dentária realizado na sexta-feira, 17, no Instituto Nacional de Criminalística de Brasília, confirmou que os restos mortais encontrados recentemente na Floresta Amazônica pertenciam ao jornalista britânico Dom Phillips. A informação foi confirmada pela PF.

“A Polícia Federal confirma que os ‘remanescentes’ de Dom Phillips fazem parte do material colhido no local apontado pelo senhor Amarildo da Costa Oliveira, que estão sendo periciados no Instituto Nacional de Criminalística”, informou a corporação, em nota.

A perícia continua a ser feita nos restos mortais do outro corpo, que pode ser de Bruno Pereira. A PF aguarda os documentos a serem enviados pela família do indigenista para concluir a análise dos exames.

Sobre o caso

Bruno Pereira e Dom Phillips foram vistos pela última vez em 5 de junho, na região do Vale do Javari. Trata-se de uma área marcada por conflitos relacionados ao tráfico de drogas, ao roubo de madeira e ao garimpo ilegal.

A região do Vale do Javari é a segunda maior terra indígena do Brasil, equivalente ao território de Portugal, com pouco mais de 90 mil quilômetros quadrados. Vivem na região ao menos 10 mil indígenas.

Pereira era servidor afastado da Funai e sofria ameaças de garimpeiros que atuam na área. Já o jornalista, que colaborava para o jornal The Guardian, recebeu no ano passado uma bolsa da Fundação Alicia Patterson, dos Estados Unidos, para investigar a preservação e a conservação da Amazônia.

Leia também: “A abjeta politização das mortes no Amazonas”, artigo de Rodrigo Constantino publicado na Edição 117 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Eita qui quá… Esse daí já se mandou para o Perú já faz tempo e agora a Inês já está morta e enterrada. Mas os dois Uirapurús-da-Mata que foram presos, já cantaram a pedra por demais. Já sabem que é o mandante? Isso que o mais importante… até deu rima.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.