PIB do agronegócio cresce quase 4% no início de 2020

Setor fecha primeiro quadrimestre do ano com resultados positivos
-Publicidade-
Lavouras representam um crescimento de quase 12% no VBP deste ano | Foto: Freepik
Lavouras representam um crescimento de quase 12% no VBP deste ano | Foto: Freepik

Setor fecha primeiro quadrimestre do ano com resultados positivos

agronegócio brasileiro - crescimento do pib - cna
Agro brasileiro segue crescendo | Foto: FREEPIK

De 1º janeiro a 30 de abril, o produto interno bruto (PIB) do agronegócio brasileiro cresceu. De acordo com os dados divulgados hoje pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o setor registrou alta de 3,78% no primeiro quadrimestre de 2020.

-Publicidade-

Leia mais: “O coronavírus não contaminou o agronegócio no Brasil

O crescimento consolidado, quando comparado com o mesmo período de 2019, ocorre apesar de o Brasil estar em estado de calamidade pública devido à pandemia da covid-19 desde março. Em meio ao surto da doença, abril registrou alta de apenas 0,36 para o agronegócio.

Divulgados pela CNA, o PIB do agronegócio brasileiro é definido com base em cálculos realizados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Os números relativos ao produto interno bruto têm sintonia com as informações reforçadas pelo Banco Central. Conforme noticiou Oeste mais cedo, Estados com força na agricultura estão sendo menos impactados pela crise econômica.

“Excelente resultado”

Em nota, pesquisadores do Cepea enfatizam que o PIB do agronegócio brasileiro no primeiro quadrimestre é um “excelente resultado”. Entre outros pontos, eles afirmam que o patamar alcançado até o momento é reflexo, sobretudo, de dois indicadores: preços elevados e expectativa de maior produção.

“Expectativa de maior produção na safra atual”

“O excelente resultado do segmento primário agrícola, por sua vez, reflete os preços mais elevados na comparação entre os períodos e a expectativa de maior produção na safra atual. Já para o segmento primário pecuário, o resultado positivo reflete sobretudo os preços elevados em 2020, com destaque para boi gordo, suínos e ovos. Em partes, o elevado patamar dos preços pecuários nos primeiros meses de 2020 ainda refletiu um efeito inercial da forte elevação ao longo de 2019, relacionada à Peste Suína Africana”, afirmam os pesquisadores.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.