Polícia prende bandidos do Pix com ajuda de GPS de celular

Motorista de aplicativo ficou mantido como refém por quase duas horas depois de sofrer sequestro relâmpago
-Publicidade-
Polícia conseguiu chegar aos criminosos com a localização do celular da vítima
Polícia conseguiu chegar aos criminosos com a localização do celular da vítima | Foto: Divulgação/Polícia Militar

Um motorista de aplicativo de 36 anos foi sequestrado na madrugada do domingo 11, em Taboão da Serra, cidade da região metropolitana de São Paulo. Segundo a polícia, a vítima faria a última viagem antes de encerrar o trabalho, quando aceitou uma corrida com dois homens. Depois que entraram no carro, logo anunciaram o assalto.

A vítima foi agredida com coronhadas e obrigada a entregar o celular e as senhas. Os criminosos tentaram fazer transações pelo celular usando o Pix — sistema de pagamentos instantâneo. Depois de duas horas rodando com o motorista, ele foi liberado em Itapecerica da Serra, também na grande São Paulo.

O motorista pediu ajuda e foi até o 1º Distrito Policial de Taboão da Serra, onde registrou a ocorrência. Com o sinal de GPS do celular, os policiais conseguiram localizar os bandidos e o carro. Houve perseguição, mas a dupla acabou presa. De acordo com a polícia, os criminosos não conseguiram roubar o dinheiro da vítima.

-Publicidade-

Leia também: “O terror na tela do celular”, reportagem publicada na Edição 81 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.