TCU atrasa privatizações no governo Bolsonaro

Dessa vez, o alvo é a Companhia Brasileira de Trens Urbanos
-Publicidade-
A empresa de trens urbanos administra as redes de passageiros em cinco capitais brasileiras
A empresa de trens urbanos administra as redes de passageiros em cinco capitais brasileiras | Foto: Divulgação

O Tribunal de Contas da União (TCU) provocou um novo atraso na agenda de privatizações do governo federal. Dessa vez, o alvo é a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) — a empresa de trens que administra redes de passageiros em cinco capitais brasileiras.

O ministro Vital do Rêgo, relator do processo no órgão, contrariou a área técnica do tribunal e colocou empecilhos à publicação do edital definitivo de venda da CBTU Minas, na capital mineira.

De acordo com o relatório técnico da Secretaria de Infraestrutura Urbana do TCU, “não foram constatadas irregularidades ou impropriedades que desaconselhem o regular prosseguimento do referido processo de desestatização”.

-Publicidade-

No entanto, na semana passada, o ministro assinou um despacho com dezenas de questionamentos. Ao todo, Vital fez mais de 50 pedidos adicionais de informação. Os ministérios da Economia e do Desenvolvimento Regional, responsáveis pela privatização, ficaram surpresos com a iniciativa e acreditam que isso deverá atrasar em pelo menos um mês o encaminhamento do processo ao plenário do TCU. O ministro também foi o autor de dois pedidos de vista que prolongaram a análise da privatização da Eletrobras.

A privatização da CBTU Minas prevê investimentos de quase R$ 3,5 bilhões na modernização da linha 1 e na implantação da linha 2 do metrô de Belo Horizonte.

A União está colocando R$ 2,8 bilhões — já aprovados pelo Congresso em projeto de lei complementar — de imediato, o governo Romeu Zema (MG) se comprometeu com outros R$ 428 milhões e o futuro operador terá de injetar mais R$ 227 milhões. A ideia é que, sob gestão privada, a operação será mais eficiente e poderá virar lucrativa. Atualmente, a CBTU Minas opera no vermelho.

A empresa de trens urbanos administra as redes de passageiros em cinco capitais: Belo Horizonte, Recife, Natal, João Pessoa e Maceió e é altamente deficitária. A solução encontrada pelo governo foi “fatiar” as operações e privatizar as menos problemáticas financeiramente, começando pela CBTU Minas.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

22 comentários Ver comentários

  1. Enquanto o país tiver ministros, dos tribunais de contas, do stj e stf, conselheiros dos tribunais de contas estaduais, vamos continuar vendo o país ser saqueado e vagabundos sendo soltos sem devolver um centavo do que foi desviado, ou melhor surrupiado dos cofres públicos.

  2. Pra que serve tribunal de contas, sinceramente, a não ser pra gerar gasto?! Não fazem nada do que o MP pode fazer, inclusive com agilização de procedimentos wue resultam na persecução penal em desfavor de vagabundos da seara pública.

  3. Que benefício este cidadão traz para o povo brasileiro.
    Se fosse ele quem pagasse a conta certamente não estava atrasando este processo de privatização.

  4. Esse lixo de ministro faz oposição sistemática ao governo Bolsonaro, é contra privatizações e contra o desenvolvimento do país! É um sabotador e comparsa do STF!

    1. Em 19 de maio de 2016, o ministro Teori Zavascki determinou a abertura do inquérito que investiga Vital do Rêgo Filho pela operação Lava Jato, por suposta cobrança de propina de empreiteiras quando, no cargo de senador, comandava a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Petrobras no Congresso.[10]

  5. Não tem nada de técnico neste pedido, é uma atitude política para prejudicar o governo em ano de eleição. Incomoda mas não prospera, o pleno do TCU vai derrubar essa chicana.

  6. Vital do Rêgo já afirmou, com todas as letras que quer ser nomeado por Lula para uma vaga no STF. Está fazendo de tudo para agradar seu novo padrinho.

  7. A esquerdalha jurássica, geralmente representada por funcionários públicos comprometidos com governos ladrões sempre acha um jeito de atrasar o país. Não sabem fazer outra coisa.

  8. Reportagem incompleta, faltou especificar de onde “surgiu” o citado Ministro: indicado pela Dilmanta, possui vários despachos “suspeitos” contra o Governo Federal, sempre atrasando e criando empecilhos. Mais uma daquelas “criaturas do pântano” em Brasília.

  9. Eh sempre o mesmo, impressionante como uma única pessoa pode ter TANTO PODER. Mas percebo ha vários, ou dezenas, no estamento burocrático, são verdadeiros dinossauros prejudicando a nação

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.