2,9 milhões cancelam adesão e sindicatos perdem força

Fim da obrigatoriedade do imposto sindical põe em xeque as entidades de classe
-Publicidade-
Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER
Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER | Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER

Fim da obrigatoriedade do imposto sindical põe em xeque as entidades de classe

2,7 milhões
A vida não está fácil para a CUT e seus satélites | Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER

Desde a aprovação da reforma trabalhista, em 2017, os sindicatos perderam 2,9 milhões de profissionais inscritos. Portanto, uma queda de 21,7% em três anos, conforme o mais recente levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A redução do número de sindicalizados já vinha ocorrendo desde 2014, mas a decadência foi em 2018. Naquele ano, 1,5 milhão de trabalhadores deram adeus às entidades de classe. Aprovada em 2017, a reforma tornou facultativa a cobrança do chamado “imposto sindical”, cobrado de todos os trabalhadores. Desde então, esses órgãos vêm perdendo força no país.

-Publicidade-

Leia também: “Grevistas dos Correios decidem manter paralisação”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.