-Publicidade-

2,9 milhões cancelam adesão e sindicatos perdem força

Fim da obrigatoriedade do imposto sindical põe em xeque as entidades de classe
Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER
Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER | Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER

Fim da obrigatoriedade do imposto sindical põe em xeque as entidades de classe

2,7 milhões
A vida não está fácil para a CUT e seus satélites | Foto: DIVULGAÇÃO/TWITTER

Desde a aprovação da reforma trabalhista, em 2017, os sindicatos perderam 2,9 milhões de profissionais inscritos. Portanto, uma queda de 21,7% em três anos, conforme o mais recente levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A redução do número de sindicalizados já vinha ocorrendo desde 2014, mas a decadência foi em 2018. Naquele ano, 1,5 milhão de trabalhadores deram adeus às entidades de classe. Aprovada em 2017, a reforma tornou facultativa a cobrança do chamado “imposto sindical”, cobrado de todos os trabalhadores. Desde então, esses órgãos vêm perdendo força no país.

Leia também: “Grevistas dos Correios decidem manter paralisação”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês