Apesar da crise, classes C e D voltam a consumir no nível pré-covid-19

Apesar da crise, classes C e D voltam a consumir no nível pré-covid
-Publicidade-
Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL
Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL

Estudo foi publicado pela ‘fintech’ Superdigital, do banco Santander

apesar da crise
Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL

Levantamento da fintech Superdigital, do banco Santander, divulgado no domingo 30 trouxe uma notícia alvissareira: os brasileiros que fazem parte das classes C e D, ou seja, com renda mensal entre mil reais e R$ 2 mil, voltaram ao nível de consumo que tinham antes do início do isolamento social. A pesquisa compara três períodos distintos. O primeiro entre 15 de fevereiro e 15 de março, 30 dias antes do início das medidas restritivas nas principais capitais do país.

-Publicidade-

Leia também: “Em meio à pandemia, Brasil ganha 600 mil microempreendedores”

O segundo vai de 16 de março a 15 de maio, o período mais duro, de 60 dias. O terceiro vai de 16 de maio a 15 de julho, portanto, mais 60 dias, já com o início da reabertura em várias cidades. Assim sendo, entre o período de reabertura (na média mensal) e o anterior ao confinamento, houve crescimento de 1% nos gastos, praticamente estável. Em relação ao intervalo mais restritivo de isolamento, a expansão é de 17%.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro