Como o Burger King pode ajudar o meio ambiente?

Rede de fast food investe em estudo para diminuição da emissão de gás metano por vacas e bois
-Publicidade-
Burger King: produção de fast food, mas preocupação com o meio ambiente | Foto: DIVULGAÇÃO
Burger King: produção de fast food, mas preocupação com o meio ambiente | Foto: DIVULGAÇÃO | burger king - gás metano - meio ambiente - vacas e bois

Rede de fast food investe em estudo para diminuição da emissão de gás metano por vacas e bois

burger king - gás metano - meio ambiente - vacas e bois
Burger King: produção de fast food, mas preocupação com o meio ambiente | Foto: DIVULGAÇÃO

Ajudar na preservação do meio ambiente. Esse é o objetivo por trás do investimento feito pelo Burger King em estudo que conclui que é possível reduzir em um terço a emissão de gás metano a partir de vacas e bois. Os bovinos, aliás, são matéria-prima para a produção de hambúrguer, produto presente no cardápio da rede de fast food.

-Publicidade-

Leia mais: “Índice Big Mac aponta real caro para os brasileiros

Ciente que de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) a criação de gado bovino pelo mundo é responsável sozinha por cerca de 14,5% das emissões globais de gases de efeito estufa, o Burger King lançou estudo que aponta que uma ação simples junto aos animais pode mudar essa estatística. Afinal, conforme divulga a companhia, basta adicionar 100 gramas de capim-limão à dieta de vacas e bois. Assim, informa a empresa, a emissão de gás metano pode ser reduzida em 33% em todo o planeta.

A primeira parte do estudo foi realizada nos Estados Unidos e no México. Os trabalhos foram conduzidos pelos cientistas Octavio Castelan, PhD da Universidade Autônoma do Estado do México, e Ermias Kebreab, Phd da Universidade de Davis (Califórnia). A ideia é realizar pesquisa similar no Brasil a partir de agosto — e em parceria com a JBS.

Pesquisa no Brasil

No acerto com a produtora de proteína animal, a rede de fast food dá detalhes de como funcionará a versão nacional da pesquisa que visa ajudar o meio ambiente. A companhia destaca que, ao decorrer dos próximos meses, o capim-limão será inserido na dieta de vacas e bois criados em confinamento. Serão 95 cabeças de gado presentes nessa etapa do trabalho.

“Acredito que todos ficarão surpresos com os resultados”

Chefe de marketing da Restaurant Brands International (RBI), holding detentora da marca Burger King, Fernando Machado vai além de comemorar. Ele quer ver outras empresas do ramo alimentício investindo na preservação do meio ambiente. “Gostaria de convidar toda a indústria de alimentação, incluindo nossos concorrentes, a testar o que fizemos. Acredito que todos ficarão surpresos com os resultados e, quanto mais pessoas se juntarem a nós, maior será o impacto positivo que podemos gerar no mundo”, diz o executivo.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.