Covid-19: crise faz empresas adiarem IPO

Cancelamentos de abertura de capital podem tirar R$ 15 bilhões do mercado
-Publicidade-
Adiamento de abertura de capital: aversão ao risco e investidores seletivos
Adiamento de abertura de capital: aversão ao risco e investidores seletivos | Foto: Divulgação/Flickr

Desde o início de 2021, dezoito empresas, entre elas Kalunga e Tok&Stok, adiaram a abertura de capital na bolsa de valores brasileira, devido à crise da covid-19 e às políticas em Brasília. Com isso, R$ 15 bilhões deixam de ser movimentados.

Em razão do desânimo com a economia nacional, o número de cancelamentos pode ser ainda maior. A expectativa de que as ofertas movimentassem mais de R$ 50 bilhões nos próximos meses não deve se concretizar. Há uma maior aversão ao risco e os investidores, inclusive os estrangeiros, estão mais seletivos, diferentemente do cenário dos meses anteriores.

Leia também: Mais de 30 empresas estão na fila da bolsa de valores

-Publicidade-

Com informações do jornal O Estado de S. Paulo

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.