Governo deve lançar medidas para estimular o mercado

A ideia é criar mecanismos para gestão de garantias dadas pelos tomadores de crédito para as instituições financeiras
-Publicidade-
A proposta, que será apresentada pelo Ministério da Economia, vai promover mudanças na legislação
A proposta, que será apresentada pelo Ministério da Economia, vai promover mudanças na legislação | Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

O governo Federal, por meio do Ministério da Economia, deve anunciar na próxima semana um pacote de medidas para estimular o mercado de crédito no país, reduzindo as taxas de financiamento para as operações. A informação foi divulgada pela CNN Brasil nesta sexta-feira, 19.

Segundo o secretário de política econômica, Adolfo Sachsida, as medidas não vão contar com subsídio. A ideia é criar mecanismos para gestão de garantias dadas pelos tomadores de crédito para as instituições financeiras.

O governo deverá editar medidas provisórias para permitir que o patrimônio dado como garantia seja fracionado, de acordo com o tamanho do crédito tomado. Assim, será possível permitir que as pessoas usem a mesma garantia em outras instituições, em vez de ficar travado em uma única operação. Desse modo, principalmente as empresas, poderão financiar novos projetos usando o mesmo bem.

-Publicidade-

A proposta será apresentada pelo Ministério da Economia promovendo mudanças na legislação, criando uma chamada “instituição gestora de garantias”, com o próprio mercado gerindo e acolhendo o patrimônio como garantia em outras operações de crédito.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Então quer dizer os economistas do Ministério da Economia é só falta de dinheiro ou crédito na praça? Só isso mesmo? No resto do panorama, o país vive no melhor dos mundos? Não temos um STF que a todo dia interfere em problemas os mais absurdos, até de ortografia alternativa para uma certa terceira via, até a perseguição a desafetos, não temos um congresso que nada produz a não ser imbecilidades e um executivo totalmente manietado? Agora vem esse caras dizer que pode-se dar uma mesma garantia para diversas tomadas de empréstimos? Deixe-me ver se entendi: Eu tenho um imóvel que vale R$ 900.000,00 e estou precisando de grana para movimentar um negócio qualquer, então vou a um banco A e faço um empréstimo, depois vou a um banco B, faço outro empréstimo, dando a mesma garantia e assim por diante, aí vocês vão dizer que a soma dos empréstimos não pode exceder o valor da garantia. Como se controla isso? E se o negócio não der certo, qual banco que ficará com a garantia? Ou será um consórcio de bancos? Isso vai virar um verdadeira zona, isso sim.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.