-Publicidade-

Guedes é alvo de críticas no Congresso por fatiar reforma tributária

Durante sessão da comissão mista da reforma tributária, Guedes prometeu entregar o restante da proposta nos próximos dias
O ministro Paulo Guedes: a economia apenas hibernou | Foto: DIVULGAÇÃO
O ministro Paulo Guedes: a economia apenas hibernou | Foto: DIVULGAÇÃO | paulo guedes, retomada econômica, ministério da economia

Durante sessão da comissão mista da reforma tributária, Guedes prometeu entregar o restante da proposta nos próximos dias

Paulo Guedes, pis/cofins, extinção de impostos, ibs, pec 45, reforma tributária, senado
Ministro da Economia participou de sessão do Congresso | Foto: Isac Nóbrega/PR

O Congresso reagiu contrariamente à proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, em dividir a reforma tributária em três partes. O fatiamento foi o principal ponto das críticas dos senadores e deputados durante sessão da comissão mista que analisa a proposta com o chefe da pasta nesta quarta-feira, 5.

“Nunca li um livro onde o autor vai entregando os capítulos aos poucos”, disse o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR). Ele afirmou que a primeira parte da proposta não é capaz mostrar o que o governo realmente quer.

“Eu não consigo saber o que pensa o governo. São tantas apreensões sobre o que vem depois… O senhor precisa colocar todas as cartas na mesa. Ia ajudar muito”, defendeu o parlamentar.

Ademais, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça, senadora Simone Tebet (MDB-MS), também questionou ministro sobre o fatiamento. Além disso, afirmou que falta uma “espinha dorsal” para o texto que deve ser discutido no Congresso.

“Temos de bater na tecla o tempo todo de que não vai haver aumento de impostos. Se tiver que seja para os grandes, não para a classe média e os mais pobres. Nós precisamos evitar vetos, e não estou falando dos vetos do Executivo, estou me referindo aos vetos do povo brasileiro. Se a rua gritar contra a reforma tributária, fica muito difícil de avançar”, reforçou.

Além disso, a emedebista disse que o governo precisa deixar clara a reforma que quer. “Nós somos responsáveis pela arquitetura, mas a engenharia tem que vir do Executivo, que tem os números”, disse.

Estratégia

Contudo, Guedes fez “mea culpa” e prometeu enviar as demais propostas “nos próximos dias”. “Tivemos uma excelente reunião com o relator (deputado Aguinaldo Ribeiro-PP-PB) sobre os princípios das reformas. E decidimos começar pelo que nos une não pelo que nos desune”, afirmou.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês