Le Postiche entra em recuperação judicial

Empresa sofreu com a pandemia e acumula R$ 64,6 milhões em dívidas

-Publicidade-
Le Postiche: recuperação judicial
Le Postiche: recuperação judicial | Foto: Divulgação

A Le Postiche, varejista de bolsas, malas e mochilas, entrou em recuperação judicial. A empresa acumula R$ 64,6 milhões em dívidas e viu desabar suas receitas em meio à pandemia de covid-19, que já dura mais de um ano. Além das lojas fechadas durante épocas de isolamento, dois principais motivos que geravam procura por seus produtos ruíram nesse período: o escolar, que impulsionava a demanda por mochilas, e o turismo, com a necessidade de malas de viagem.

No processo de reestruturação, iniciado em 2020, a empresa fechou 37 lojas de shopping sem rentabilidade antes mesmo da pandemia. Agora, a varejista possui 45 lojas próprias e 98 franquias (que já chegaram a ser 200). A Le Postiche ainda conseguiu atravessar o segundo semestre com o adiamento de dívidas pelos bancos e por meio de crédito obtido em uma das linhas de socorro liberadas pelo governo. Mas a pandemia não diminuiu, e tanto o turismo, com as viagens de fim de ano, quanto a educação não voltaram em grande escala e afetaram o planejamento da companhia.

Leia também: “Lojistas expõem crise do setor e se queixam de acordos com shoppings”

-Publicidade-

Hoje, a empresa quer mais digitalização e aplica-se para diversificar, explorar novos mercados e se tornar menos dependente de nichos. A profissionalização da gestão da empresa, ainda com perfil familiar, também vai ser trabalhada.

Os esforços estarão também voltados para abrir lojas em locais mais estratégicos e fora dos shoppings. Para esses investimentos, a companhia já tem conversado com investidores com foco em empresas em recuperação judicial, diz o presidente da Corporate Consulting, Luis Alberto de Paiva, que conduz o processo de reestruturação. De acordo com ele, a entrada de recursos deve acontecer depois da entrega do plano de recuperação, agendada para daqui a 60 dias, e da assembleia de credores, em 180 dias, num prazo de seis meses a um ano.

Na quinta-feira 29, o pedido de recuperação da Le Postiche foi deferido. A dívida que será renegociada soma hoje R$ 64,6 milhões. O montante não inclui os passivos fiscais da empresa.

Leia também: “Líder mundial na produção de cimento põe negócio no Brasil à venda”

Com informações do Estadão Conteúdo

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Alguma dessas empresas chinesas que vendem produtos falsificados irá comprar tudo o que restar dessa empresa a preço de banana. Agradeçam ao agente chinês que os paulistas colocaram para governá-los, o Doriana das calcinhas apertadas.

  2. Acredito que com essas notícias a esquerda, fica cada vez mais satisfeita com a desgraça dos outros e ofereçam aos abutres a oportunidade de bons negócios.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.