‘Lockdown’ é mais devastador que covid-19, informa J. P. Morgan

Instituição financeira garante que mais pessoas morreram por causa da economia fragilizada do que pelo vírus chinês
-Publicidade-
Para diretor do banco, lockdown mata mais do que salva vidas | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR
Para diretor do banco, lockdown mata mais do que salva vidas | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR | Para diretor do banco, lockdown mata mais do que salva vidas | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

Instituição financeira garante que mais pessoas morreram por causa da economia fragilizada do que pelo vírus chinês

lockdown
Para um dos estrategistas do banco, lockdown mata mais do que salva vidas
Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

De acordo com um relatório do banco J. P. Morgan, o lockdown (isolamento social radical) destruiu milhões de empregos em todo o mundo. A instituição critica as medidas baseadas em “artigos científicos falhos” por governos “assustados”. Em consequência, houve colapso econômico sem precedentes. Além disso, mais pessoas morreram por causa da economia fragilizada do que pelo vírus chinês.

-Publicidade-

O levantamento, encabeçado pelo chefe global de pesquisa macroquantitativa e de derivativos do banco, Marko Kolanovic, aponta que as políticas de isolamento adotadas foram ineficientes e atrasadas. “Destruíram empresas, empregos e vidas sem, contudo, mudar o curso da pandemia”, garante o documento obtido pelo canal de notícias Fox Business.

Leia também: Lockdown pode matar mais do que salvar vidas’, garante Nobel de Química

Segundo Kolanovic, cujas previsões acerca da evolução da covid-19 têm sido assertivas, não há uma ligação exata entre o nível de atividade econômica e a disseminação do vírus. “Embora muitas vezes ouvimos que os lockdowns são motivados por modelos científicos e que existe uma relação exata entre o nível de atividade econômica e a disseminação do vírus, isso não é suportado pelos dados”.

Para o especialista, a infecção diminuiu em todos os lugares onde houve a reabertura das atividades econômicas. Portanto, “isso significa que a pandemia e a covid-19 provavelmente têm sua própria dinâmica não relacionada a medidas de lockdown frequentemente inconsistentes que estavam sendo implementadas”, argumenta Kolanovic, ao mencionar índices positivos na Alemanha e na Dinamarca, que flexibilizaram as medidas.

Uso político

A instrumentalização política da doença por líderes mundiais também é citada por Kolanovic. Conforme noticiou Oeste, a dispensa de licitação para compras emergenciais pariu o chamado Covidão. Ainda, noutros lugares, lideranças aproveitaram a situação para impor uma agenda restritiva e antiliberal. “Ao mesmo tempo, milhões de meios de subsistência estavam sendo destruídos por esses lockdowns”, conclui o relatório.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários Ver comentários

  1. Sem contar que as grandes indústrias farmacêuticas iriam perder a chance bilionária de vender medicamentos e vacinas pra 7 bilhões de pessoas?
    Melhor criar o caos!

    1. Correto! O presidente Jair Messias Bolsonaro foi o ÚNICO politico a alertar a nação sobre isso. E, mais uma vez, foi ignorado.

    2. O isolamento só serviu para deixar muitas pessoas sem renda, mais pessoas doentes, pois os níveis de vitamina D3, por estarem trancados em casa, sem tomar sol, baixaram. Idosos faleceram por depressão e tristeza… Muitos infectologistas afirmaram que este isolamento era inútil, mas o desejo de derrubar um presidente foi maior.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.