Preço do etanol sobe em 21 Estados brasileiros

Em Mato Grosso, apesar do aumento, o biocombustível ficou mais competitivo do que a gasolina
-Publicidade-
Carro sendo abastecido em posto de combustível | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Carro sendo abastecido em posto de combustível | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O preço do etanol subiu em 21 Estados e caiu em outros quatro e no Distrito Federal na última semana. Segundo o levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em Mato Grosso, mesmo com o aumento, o biocombustível ficou mais competitivo do que a gasolina.

Leia também: “Cana: usinas produzem mais açúcar do que etanol na segunda quinzena de junho”

Nos postos mato-grossenses, o preço do etanol chegou a R$ 4,143 o litro na semana encerrada no  sábado 17, o que mostra alta de 2,86% em relação à semana anterior. O valor correspondeu a 69,4% do valor cobrado pela gasolina.

-Publicidade-

De acordo com a ANP, o movimento acompanhou a alta da gasolina ocorrida em todo o país.

Produção 

O preço do etanol aos produtores do biocombustível tem permanecido entre R$ 2,80 e R$ 3,00 o litro desde maio. Na semana passada, ficou em R$ 2,96 o litro, de acordo com o indicador Cepea/Esalq, para as usinas paulistas.

Leia mais: “Governo eleva para 12% mistura obrigatória de biodiesel ao diesel”

 

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Não vai demorar o tempo em que a Petrobrás e os usineiros brasileiros vão ser obrigados a perceberem que a mudança dos motores movidos por etanol, gasolina, disel, querosene, por motores elétricos é uma realidade irreversível que supera muito além a melhor das mais promissoras expectativas, realidade essa, impulsionada pela política de preços abusivos praticados tanto pela Petrobrás quanto pelos usineiros cujo monopólio impositivo caminha em passos largos para uma concorrência ao qual não estão acostumados e menos ainda preparados para amargar uma triste consequência de possuírem grande volume de produção cujo incentivo de transição dos combustíveis para energia elétrica se impõe aos preços abusivos praticados por quem hoje domina a opção de consumo dos veículos automotores

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site