TCU adia decisão da privatização da Eletrobras

Pedido de vista feito pelo ministro Vital do Rêgo nesta quarta-feira poderá atrasar a operação
-Publicidade-
O governo federal contava com a aprovação da privatização da Eletrobras pelo TCU para dar prosseguimento ao processo
O governo federal contava com a aprovação da privatização da Eletrobras pelo TCU para dar prosseguimento ao processo | Foto: Divulgação

Mais uma vez o Tribunal de Contas da União (TCU) adiou a decisão sobre o processo de privatização da Eletrobras.

Desta vez, o adiamento se deu por um pedido de vista feito nesta quarta-feira, 15, pelo ministro Vital do Rêgo, que solicitou mais tempo para estudar o caso.

A próxima sessão do TCU está marcada apenas para 19 de janeiro, mas ainda não está claro se o tema será levado à Corte de contas nessa reunião.

-Publicidade-

Trata-se do segundo adiamento da análise da privatização pelo TCU, que deveria ter ocorrido inicialmente na semana passada. Com isso, vão atrasar os planos do governo de privatizar a estatal de energia no próximo ano.

O governo corre contra o tempo para ter o aval da Corte e conseguir fazer a operação até maio de 2022, prazo definido pelo Executivo como limite para a desestatização.

Depois disso, a avaliação é que não seria possível fazer a operação, por conta dos prazos legais e da proximidade com o período eleitoral.

Além desse julgamento, o TCU ainda precisará analisar outros detalhes do processo de privatização. Por isso, o adiamento agora pode até mesmo inviabilizar a desestatização no próximo ano.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.