-Publicidade-

União Europeia fecha plano de recuperação de € 1,8 trilhão

Meta é acelerar recuperação de países mais afetados pela covid-19 sem temer que dívida pública alcance níveis insustentáveis.
UE está disposta aumentar dívida pública para ajudar países a saírem da crise do coronavírus | Foto: Gerd Altman/Pixabay
UE está disposta aumentar dívida pública para ajudar países a saírem da crise do coronavírus | Foto: Gerd Altman/Pixabay | união europeia, recuperação econômica, retomada econômica, europa

Meta é acelerar recuperação de países mais afetados pela covid-19 sem temer que dívida pública alcance níveis insustentáveis

união europeia, recuperação econômica, retomada econômica, europa
UE está disposta a aumentar dívida pública para ajudar países a sair da crise do coronavírus
Foto: Gerd Altman/Pixabay

Líderes da União Europeia fecharam um pacote de gastos de € 1,8 trilhão para conter a crise econômica enfrentada pelo bloco.

Os líderes decidiram-se por um plano de recuperação de € 750 bilhões. Desse total, € 390 bilhões serão oferecidos em doações — menos do que os € 500 bilhões da proposta inicial do Conselho Europeu — e o restante virá de empréstimos.

Eles também chegaram a um acordo para um orçamento plurianual da UE de mais de € 1 trilhão entre 2021 e 2027.

“A Europa está unida”, disse o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, em entrevista coletiva. “Conseguimos chegar a um acordo sobre o pacote e sobre o orçamento europeu. Foram, é claro, negociações difíceis em um momento difícil para todos os europeus. Esse é um bom acordo. É um acordo forte.”

O acordo ainda precisa ser aprovado pelos parlamentos dos países-membros. No plano de recuperação, a Comissão Europeia — o Poder Executivo da UE — vai pela primeira vez emitir dívidas em larga escala para financiar doações e empréstimos aos países mais afetados pela pandemia da covid-19.

A meta é, parcialmente, acelerar a recuperação econômica da Europa e permitir que Itália, Espanha, Grécia e outros países possam aumentar os gastos do governo sem temer que a dívida pública, já alta, alcance níveis insustentáveis.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Nâo e´bem assim. Pelo menos para a Italia. La´ estão se perguntando porque´a ¨¨Comissâo Europea ¨¨ (?!?) quer se substituir ao Banco Central !
    A UE – segundo analistas – so precisa de liquidez. Portanto o BCE (Banco Central Europeo) pode criala rapidamente.
    Então porque´criar dois fundos que custarão o equivalemte ao 5% do PIB de cada Pais ! Porque´a imprensa mainstream continua falando de Doações quando destes 390 bi a Italia tera´que contribuir com um 12,8 % e que portanto cubrira´( PAGARA`)a quase totalidade da ¨¨ Doação¨¨!!!
    Ja mudaram tambem o nome , de Recovery Fund para Next Generation Fund ! Um plano de 07 anos!! E que preve investimentos em ¨Tecnologia¨e ¨ Green Economy ¨. What is this?
    Os analistas preve` que as primeiras erogações serão em 2024. Num mercado de 500 milhões de pessoas, dos quais grande maioria prejudicada ( direta ou indiretamente)pelo virus chines e que justamente deveriam ser beneficiadas com este dinheiro a curto prazo, especialmente para salvar as micro e pequenas empresas, ate´um modesto economista como eu entende que a Troika ( Merkel,Lagarde e Von der Leyeen) esta´ a beneficiar os interesses exclusivos da Finança Especulativa Mundial.
    A cada dia que passa se entende porque´a Englaterra saiu da União(?) Europea.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.