-Publicidade-

STF cobra explicações do governo sobre suposto monitoramento de políticos e jornalistas

Decisão da ministra Cármen Lúcia atende a pedido feito pelo Partido Verde
Ministra Cármen Lúcia quer explicações do governo sobre suposto monitoramento nas redes
Ministra Cármen Lúcia quer explicações do governo sobre suposto monitoramento nas redes | Foto: Divulgação/STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) acaba de atender a mais uma solicitação da esquerda contra o governo federal. Na tarde desta quarta-feira, 20, a ministra Cármen Lúcia determinou que a Secretaria de Governo da Presidência da República (Segov) e a Secretaria Especial de Comunicação Social do Ministério das Comunicações (Secom) prestem esclarecimentos sobre suposto monitoramento, por parte do Poder Executivo, de determinados parlamentares e jornalistas. A ação foi encaminhada à Corte pelo Partido Verde (PV), legenda que tem somente quatro deputados federais.

Leia mais: “Psol vai ao STF para impedir distribuição de cloroquina”

No ofício encaminhado ao STF, o PV solicita a proibição de relatórios criados pelo governo federal a partir do monitoramento de perfis mantidos por jornalistas e políticos em plataformas de redes sociais. Para a legenda, esse tipo de ação configura “grave lesão ao preceito da liberdade de expressão”. Ao concordar com o pedido feito pelo partido de esquerda, a ministra do Supremo deu prazo de 48 horas para que a Segov e a Secom se expliquem. De acordo com a magistrada, o prazo se faz necessário por causa de “urgência e prioridade” do assunto.

“A ação [do PV] baseou-se em matéria da revista Época que noticiou que pelo menos 116 parlamentares tiveram suas redes sociais monitoradas a pedido da Segov [105 deputados federais, nove senadores, uma deputada estadual e um vereador]”, informa a equipe de comunicação do STF. “Segundo o partido, há, na prática, indícios de desvio de finalidade na contratação de empresa privada com verba pública, motivo pelo qual informa que o Ministério Público solicitou que o Tribunal de Contas da União (TCU) apure se a medida atende ao interesse público”, prossegue o órgão.

______________________________

Receba os principais destaques sobre o Poder Judiciário brasileiro diretamente no WhatsApp. Clique aqui, siga as instruções e faça parte da lista de transmissão da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

  1. A ideia central de todos militantes da esquerda, seja lá onde estiverem, é de atrapalhar a nós, a parcela do povo que democraticamente exerceu seu direito de escolha de gestor.
    O STF constituído por militantes, limitados, amorais e corrompidos indivíduos, atua contra a Constituição, o povo brasileiro e o próprio País a favor do crime, da marginalidade, da mediocridade e incompetência.
    Essa é mais uma que infelizmente ocupa um lugar absolutamente inadequado para o Brasil!

  2. Deveria pedir explicações ao advogado do PSDB no STF sobre o inquérito ilegal e vergonhoso! Também precisa explicar se efetivamente fez reunião política com Botafogo e Kalil.

  3. Triste quando uma criatura, que certamente já dispõe do tempo necessário para requerer sua aposentadoria, insiste em continuar em um cargo remunerado pelo cidadão contribuinte, impedindo que outros integrantes da carreira jurídica, qualificados plenamente para o exercício da função, possam crescer e mostrar seus serviços, já que ninguém é insubstituível, ninguém é indispensável!!!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês