£12 bi para conter o Coronavírus podem não ser o suficiente

O pacote de 12 bilhões de libras lançado pelo governo britânico para conter a pandemia de Coronavírus pode não ser suficiente, afirmam dois think tanks do país
-Publicidade-
O Parlamento britânico em Londres | Foto: Flickr/Parlamento Britânico
O Parlamento britânico em Londres | Foto: Flickr/Parlamento Britânico | O Parlamento britânico em Londres

Segundo o Institute for Fiscal Studies e a Resolution Foundation, Reino Unido deverá ter a sua economia fortemente abalada

O pacote de 12 bilhões de libras lançado pelo governo britânico para conter a pandemia de Coronavírus pode não ser suficiente, afirmam dois think tanks do país. As informações são do Financial Times.

-Publicidade-

Segundo o Institute for Fiscal Studies (IFS), o pacote que foi anunciado ontem, quinta-feira, 11, foi bem feito e é substancial, mas com um alcance limitado. O IFS afirma que muito outros negócios, como os de serviço e o varejo, serão muito afetados, com os funcionários sendo incapazes de ir ao serviço.

A Resolution Foundation (RF) destaca a dificuldade que trabalhadores menos qualificados, e com consequente menor renda, enfrentarão no período. O acesso ao subsídio por doença e outros benefícios são demorados e os valores são baixos, o que pode levar a um período de dificuldade para eles.

Consequências ao longo prazo na economia britânica

Ambos os thik tanks afirmam que o Reino Unido tem uma perspectiva muito baixa de crescimento no longo prazo. O Office for Budget Responsibility (OBR), órgão independente de análises econômicas ligado ao governo do país, estimava antes do Coronavírus um crescimento médio de apenas 1,5% nos próximos 5 anos.

Segundo Paul Johnson, diretor do IFS, isso já era um demonstrativo que a economia britânica não estava em uma posição confortável de lidar com choques, como o que está sendo causado pelo Coronavírus.

A RF afirma que a perspectiva do OBR não é mais realista e que a da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) é mais realista. O organismo internacional estima um crescimento de 0,8% para 2020 e 2021.

Com isso, a RF espera que o governo acabe contraindo mais empréstimos. O primeiro-ministro do país, Boris Johnson, afirmou que esses aumentos são necessários e que um crescimento de 2,8% dos gastos com serviços públicos não é nenhum absurdo.

 

 

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.