-Publicidade-

A Huawei está de olho na Amazônia

Gigante de tecnologia chinês acusado de espionagem aposta na geração de empregos no Brasil
Foto: DIVULGAÇÃO/HUAWEI
Foto: DIVULGAÇÃO/HUAWEI | Foto: DIVULGAÇÃO/HUAWEI

Gigante de tecnologia chinesa acusado de espionagem aposta na geração de empregos no Brasil

huawei
Huawei é suspeita de trabalhar para o Partido Comunista da China
Foto: DIVULGAÇÃO/HUAWEI

Depois de retomar as vendas de smartphones no Brasil em março deste ano, o gigante chinês de tecnologia Huawei agora planeja uma série de investimentos no país, entre eles a geração de empregos na região amazônica. A empresa quer capacitar e contratar cerca de 300 trabalhadores ainda em 2020, com foco na “promoção de desenvolvimento sustentável da região”. É o que informou na sexta-feira 14 o CEO da companhia no Brasil, Sun Baocheng, em live promovida pelo Instituto Municipalista de Inovações. Contudo, a estatal foi banida de vários países sob acusação de espionagem. Isso porque  ela estaria repassando informações de consumidores ao Partido Comunista da China.

Leia também: “Brasil tem de se proteger da Huawei, alerta John Bolton”

Segundo Baocheng, a Amazônia carece de “mão de obra especializada” para alavancar o setor de indústrias de tecnologia da informação e comunicação. “O isolamento da região e as condições climáticas locais também são desafios. [Nosso objetivo, porém,] é aumentar a conectividade entre pessoas e organizações, a produtividade e a eficiência dos recursos”, garantiu. A estratégia da companhia, portanto, é viabilizar a Huawei no Brasil por causa do leilão do 5G, que ocorrerá em 2021. “Dessa forma, uma parte da população pode conseguir um emprego”, observou Baocheng. No mês passado, um embaixador dos EUA avisou que pode haver debandada de empresas se o Brasil negociar com a Huawei.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês