Alemanha entra oficialmente em uma recessão profunda

A economia da Alemanha é muito dependente da exportação de produtos industrializados, área que foi particularmente afetada e que já sofria com a guerra comercial entre os EUA e a China e o Brexit.
-Publicidade-
Vista de Frankfurt, o centro econômico da Alemanha | Foto: Mylius/Wikimedia
Vista de Frankfurt, o centro econômico da Alemanha | Foto: Mylius/Wikimedia | Vista de Frankfurt, o centro econômico da Alemanha

A maior economia da União Europeia teve uma queda de 2,2% no primeiro quadrimestre de 2020, um resultado pior que o esperado

Vista de Frankfurt, o centro econômico da Alemanha
Vista de Frankfurt, o centro econômico da Alemanha | Foto: Mylius/Wikimedia

A economia da Alemanha, a maior da Europa e da União Europeia, sofreu uma retração de 2,2% nos quatro primeiros meses do ano. Este é o pior resultado desde a crise financeira de 2008.

-Publicidade-

Os dados foram divulgados pelo órgão oficial de estatística da Alemanha, o Destasis, e estão levemente piores que aquilo esperado pelo mercado, que contava com uma queda de até 2%

Com o governo também revisando os dados do último quadrimestre de 2019, mostrando que a economia alemã recuou 0,1% naquele período, a Alemanha está oficialmente em recessão, já que teve dois quadrimestres seguidos de recuo do PIB, informa a televisão pública alemã Deutsche Welle.

Os dados do primeiro quadrimestre dão apenas uma noção do impacto de como a pandemia vai afetar a economia europeia, visto que o lockdown e outras medidas só começar a ser tomadas no meio de março, pouco mais de duas semanas antes do final do primeiro quadrimestre.

As medidas impostas pelo governo alemão para conter o vírus, levaram a indústrias pararem a suas produções e afetaram o comércio e o setor de serviços com muita força. Isso reduziu fortemente as exportações e o consumo interno.

O desemprego permaneceu estável no primeiro quadrimestre, afirmou a Destasis. O programa do governo que permite a redução de salários e de horas trabalhadas é um dos principais responsáveis pela manutenção do emprego.

Exportações e retomada

A economia da Alemanha é muito dependente da exportação de produtos industrializados, área que foi particularmente afetada e que já sofria com a guerra comercial entre os EUA e a China e o Brexit. As encomendas para o setor caíram 9% entre fevereiro e março, a maior queda desde 1991.

o ministro da Economia, Peter Altmaier, disse que é esperado uma queda ainda maior no segundo quadrimestre, por causa do coronavírus. Ele afirmou que é possível que o mês de maio comece a apresentar uma recuperação dos números da economia do país.

Mesmo com o lançamento de um pacote trilionário de auxílio econômico, é esperado que a economia da Alemanha sofra uma queda superior a 6% em 2020, o pior resultado em mais de meio século.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.