Ativista contra ditadura da Bielorrússia é condenada a 11 anos de prisão

Maria Kolesnikova liderou protestos contra o regime de Alexander Lukashenko, que governa o país desde 1994
-Publicidade-
Maria Kolesnikova está presa há 11 meses; ela liderou protestos contra o ditador da Bielorússia, Alexander Lukashenko
Maria Kolesnikova está presa há 11 meses; ela liderou protestos contra o ditador da Bielorússia, Alexander Lukashenko | Foto: Reprodução/Redes sociais

Uma das principais ativistas do movimento de oposição ao regime do ditador da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, a musicista Maria Kolesnikova foi condenada a 11 anos de prisão nesta segunda-feira, 6. Ela é acusada de colocar em risco a segurança nacional.

O advogado de Kolesnikova, Maxim Znak, também foi condenado pela Justiça bielorrussa — ele terá de cumprir dez anos de cadeia. Ambos foram denunciados por conspiração.

Leia mais: “Polônia concede visto humanitário a atleta que se recusa a voltar à Bielorrússia”

-Publicidade-

A musicista e seu advogado estavam presos havia 11 meses e começaram a ser julgados no início de agosto. Aos 39 anos, Kolesnikova liderou os protestos contra Lukashenko em 2020. Na ocasião, opositores foram às ruas para contestar a legitimidade das eleições que reconduziram o ditador ao poder. Ele governa o país desde 1994.

Leia também: “Ditador da Bielorrússia ordena pouso de avião comercial para prender opositor”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro