CoronaVac precisa de terceira dose, recomenda OMS

Orientação também se aplica aos imunizantes da Sinopharm
-Publicidade-
No Brasil, a CoronaVac é envasada pelo Instituto Butantan
No Brasil, a CoronaVac é envasada pelo Instituto Butantan | Foto: Tony Capellão/Prefeitura de Canoas (RS)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou nesta segunda-feira, 11, uma terceira dose da CoronaVac. A orientação também se aplica a outra vacina anticovid-19 chinesa, a da Sinopharm.

“Todas as evidências mostram ser necessária uma terceira dose dessas mesmas vacinas ou de suas similares”, afirmou Alejandro Cravioto, presidente do Grupo Assessor Estratégico de Especialistas da OMS.

No Brasil, o Instituto Butantan envasa a CoronaVac. O Ministério da Saúde, que a distribui no país, já recomenda o reforço vacinal depois de seis meses de sua segunda aplicação. Preferencialmente, a terceira injeção deve ser feita com o imunizante da Pfizer, informou a pasta.

-Publicidade-

Leia também: “Ministério da Saúde informa que vai deixar de usar CoronaVac em 2022”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.