Covid-19: ‘hackers’ chineses são acusados de roubar dados sobre vacina

Suspeitos estariam a serviço do Partido Comunista
-Publicidade-
Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR
Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

Suspeitos estariam a serviço do Partido Comunista

covid-19
Imunizante capaz de derrotar a covid-19 no alvo de grupo hacker
Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

O governo dos Estados Unidos acusou hoje dois hackers chineses de terem roubado pesquisas sobre a vacina contra o coronavírus. Os alvos foram empresas farmacêuticas de 11 países, entre eles os EUA, a Alemanha e o Reino Unido. De acordo com a denúncia, os suspeitos Li Xiaoyu e Dong Jiazhi vendiam as informações para a inteligência do Partido Comunista. Além disso, a dupla é acusada de ligações com o Ministério de Segurança do Estado da China.

-Publicidade-

Leia também: China ameaça boicotar fabricantes de celulares

Segundo o governo Trump, os dois indivíduos tentavam encontrar vulnerabilidades nos sistemas de empresas que pesquisam a covid-19 desde janeiro. Portanto, os ataques são antigos. Conforme noticiou Oeste em maio deste ano, companhias americanas dedicadas à vacina já reportavam ao governo tentativas de invasão em seus bancos de dados. Assim sendo, investigações do Pentágono garantiram se tratar de ataques chineses.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.