Cuba avança na repressão a opositores da ditadura

Proposta de novo Código Penal endurece punições para quem ofender ditador ou promover manifestações pela ilha
-Publicidade-
O projeto cubano protege os seguidores do regime comunista que participam da repressão de opositores e cidadãos críticos ao regime
O projeto cubano protege os seguidores do regime comunista que participam da repressão de opositores e cidadãos críticos ao regime | Foto: Reprodução/Twitter

O regime cubano apresentou um projeto de lei para reformar o Código Penal do país ampliando o alcance do crime de desacato e aumentando as pressões para evitar as manifestações em Cuba.

Entre as medidas, a reforma propõe, por exemplo, penas de um a três anos para quem insultar funcionários públicos. Além disso, bloqueia o financiamento externo para a imprensa independente.

O projeto foi encaminhado pelo Supremo Tribunal Popular à Assembleia Popular, com o apoio do ditador cubano Miguel Díaz-Canel. A iniciativa deve ser analisada até abril pelo legislativo.

-Publicidade-

“Quem ameaçar, caluniar, difamar, injuriar ou, de qualquer forma, ultrajar ou ofender, em palavra ou por escrito, na sua dignidade ou decoro, funcionário público, autoridade ou seus agentes ou auxiliares, no exercício das suas funções ou por ocasião ou por causa deles, incorre em pena de privação de liberdade de seis meses a um ano e multa”, propõe o artigo 185.

No entanto, um segundo item da mesma seção aumenta as penas de prisão de um para três anos, caso as ações sejam cometidas contra os funcionários do mais alto escalão do regime comunista.

Segundo o jornal Diário de Cuba, no Código Penal já em vigor, esta pena já atinge as autoridades do país, como o ditador cubano.

Propaganda contra a Ordem Constitucional

A quinta seção da iniciativa aborda o que se chama de “propaganda contra a Ordem Constitucional”.

Neste caso, são dadas penas de dois a cinco anos de prisão a quem “incitar” ou distribuir material “contra o Estado socialista”. Se a mídia for usada para esse fim, as penas variam de quatro a dez anos de prisão.

Regime pretende estrangular o financiamento internacional

O artigo 184 quer impor sanção a qualquer pessoa que “apoie, incentive, financie, forneça, receba ou tenha em sua posse fundos, recursos materiais ou financeiros” de organizações não governamentais ou instituições internacionais que possam ser usados para “custear atividades contra o Estado e sua ordem constitucional”. Sua violação pode ser punida com pena privativa de liberdade de quatro a dez anos.

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ, na sigla em inglês) alertou que a introdução desse artigo afeta o jornalismo independente na ilha e pediu à Assembleia Popular em Cuba que rejeite sua aprovação. A organização documentou que os jornalistas dependem da renda estrangeira para atividades tão diversas como pagar salários ou serviços de internet.

“Em um país onde a mídia privada é ilegal e os jornalistas não têm a possibilidade de obter financiamento local, proibir o financiamento estrangeiro é uma sentença de morte para o jornalismo independente”, disse Ana Cristina Núñez, pesquisadora sênior do Programa América Latina e Caribe do CPJ.

Laritza Diversent, diretora executiva da Cubalex, organização que presta assistência jurídica gratuita, destacou que o novo Código Penal representa um forte retrocesso.

“Jornalistas independentes e defensores de direitos humanos, a maioria dos quais dependem do apoio estrangeiro como única fonte de financiamento, são os mais expostos”, disse ao CPJ.

Pena para bloqueio de ruas

O artigo 263 propõe uma pena de três a oito anos de prisão se “as vias públicas ou o acesso às mesmas estiverem obstruídos de forma perigosa para quem nelas circula”, ou ainda em caso de ocupação de edifícios ou instalações. A proposta tem o intuito de proibir protestos, em alusão a evitar manifestações no país, como as que ocorreram em 2021.

“O projeto do novo Código Penal cubano ratifica que o Estado, o Governo e o Partido Comunista estão acima dos cidadãos. Da mesma forma, protege os seguidores do regime que participam da repressão de opositores e cidadãos críticos, e protege o castrismo e suas instituições”, informou o jornal Diário de Cuba.

Leia também: “A América vermelha”, reportagem de Gabriel de Arruda Castro e Silvio Navarro publicada ne edição 92 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

15 comentários Ver comentários

  1. Modos operante de Ad3olf h3tler….isto é a esquerdalha…O povo por sua vez foi desarmado e agora vão lutar com o que nas mãos contra estes canalhas…..

  2. ESTA É A DITADURA DEFENDIDA POR LULA E SEUS SEGUIDORES , QUEM TEM UM ÚNICO NEURÔNIO PERCEBE TODO MAL QUE ESTA TURMA PODE TRAZER SO NOSSO BRASIL.

  3. Democracia lá é sair da ilha escondido dos “companheiros” arriscando-se em alto mar em uma pequena e geralmente lotada embarcação, à procura de L-I-B-E-R-D-A-D-E.

  4. Esse tipo de notícia é uma marca da América Latina, infelizmente. Parece que somos vocacionados para o atraso. Por aqui a esquerda encontrou um campo fértil para as suas falcatruas.

  5. Cuba é um país comandado por vigaristas e verdadeiros genocidas. Só mesmo sendo, petista, esquerdista, para achar que está merda é um paraíso.

  6. De tudo isso aí, não estranho nada. Me chama atenção, porém, a iniciativa de proibir financiamentos externos a iniciativa privada Cubana. Depois culpam o embargo econômico por suas mazelas… piada!

  7. Como assim que o governo COMUNISTA/NAZISTA/FASCISTA de Cuba, tão democrático, tá descendo a madeira no seu povo dessa forma??? Deve haver algum engano!!!

    1. Infelizmente, temos “aqueles”com poucos neoronios, que insistem em idolatrar esses psicopatas, que estão no poder uma eternidade escravizando seu povo.! Vão prá Cuba que os pariu.!👊🤜🏼🤛🏾👊

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.