Revista Oeste - Eleições 2022

Delegação dos EUA chega à Venezuela para uma nova visita

É o segundo encontro em três meses para tratar de uma agenda bilateral com o regime chavista
-Publicidade-
O anúncio da visita foi feito pelo ditador Nicolás Maduro
O anúncio da visita foi feito pelo ditador Nicolás Maduro | Foto: Divulgação

Uma delegação dos Estados Unidos chegou, na segunda-feira 27, à Venezuela para tratar de uma agenda bilateral com o regime chavista.

O anúncio da visita foi feito pelo ditador Nicolás Maduro. Por meio da emissora estatal VTV, ele disse que o chefe da Assembleia Nacional, Jorge Rodríguez, recebeu “uma importante delegação do governo dos EUA, que chegou à Venezuela” e “trabalha para dar continuidade às relações, à agenda bilateral”.

Os interesses dos EUA

-Publicidade-

Segundo o Departamento de Estado dos EUA, a equipe teria ido à capital, Caracas, para discutir a situação de cidadãos norte-americanos detidos na Venezuela.

Há três meses, os EUA realizaram a primeira visita ao país latino. Na época, dois presos políticos foram libertados pelos chavistas.

A iniciativa também tinha como pano de fundo a guerra na Ucrânia e a explosão do preço do petróleo, já que os EUA baniram a importação de petróleo, gás e carvão da Rússia.

Apesar da proximidade geográfica entre os dois países, há três anos os EUA estão rompidos diplomaticamente com a Venezuela, que concentra a maior reserva de petróleo do mundo.

Proximidade com a Rússia

Por outro lado, Venezuela e Rússia mantêm relações próximas há décadas. Foi Vladimir Putin, junto com China e Irã, quem ajudou Maduro quando os norte-americanos aplicaram embargos ao setor energético venezuelano.

Agora, Washington tenta encontrar alternativas ao petróleo russo e bloquear a influência de Moscou em um país estratégico. Já a Venezuela busca negociar o fim das sanções contra o país caribenho.

Ontem, uma autoridade da Presidência francesa afirmou que a comunidade internacional deve explorar todas as opções para aliviar a redução imposta pela Rússia no fornecimento de energia, incluindo negociações com países produtores, como Irã e Venezuela.

Leia também: “A última trincheira” texto publicado na edição 118 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Joe Bidê suplicando petróleo para o ditador Venezuelano kkkkk.
    EUA virou piada.
    JB americano literalmente caiu 3 vezes na escada e mais uma vez da bicicleta.
    Politicamente, ele perdeu ou deu centenas de bilhões para o Afeganistão…estratégia da esquerda doente. Joe tá se vendendo para terroristas?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.