Emissária para defesa dos direitos das mulheres afegãs é nomeada pelos EUA

Rina Amiri é uma acadêmica americana nascida no Afeganistão, especialista em mediações
-Publicidade-
Recentemente, o Talibã restringiu o deslocamento das mulheres afegãs desacompanhadas por homens
Recentemente, o Talibã restringiu o deslocamento das mulheres afegãs desacompanhadas por homens | Foto: Reprodução/BBC

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira, 29, a nomeação de uma emissária especial para defender os direitos das mulheres afegãs. Rina Amiri ocupará o cargo. Especialista em mediação, ela é uma acadêmica americana nascida no Afeganistão.

Amiri também trabalhou para a administração do democrata Barack Obama, quando Joe Biden era o vice-presidente do país. O secretário de Estado, Antony Blinken, comunicou a nomeação da especialista para defender os direitos das mulheres afegãs.

“Como emissária especial, trabalhará em uma série de questões que são extremamente importantes para mim, para a administração americana e para a segurança nacional dos Estados Unidos: os direitos humanos e as liberdades fundamentais de mulheres, meninas e outras populações em risco em toda a sua diversidade”, acrescentou.

-Publicidade-

Blinken lembrou que os Estados Unidos querem “um Afeganistão pacífico, estável e seguro, onde todos os afegãos possam viver e prosperar”. Há quase seis meses, as forças militares norte-americanas deixaram o país. De lá para cá, o Talibã reassumiu o controle local.

Buscando reconhecimento internacional, o grupo extremista prometeu conduzir o Afeganistão com menos brutalidade que durante sua primeira gestão (1996-2001). Assim, os radicais se comprometeram a não impor as mesmas restrições do passado às mulheres afegãs.

Contudo, elas ainda continuam sem ter os mesmos direitos que os homens. Recentemente, o Talibã restringiu a 70 quilômetros o deslocamento das mulheres afegãs que não estejam acompanhadas por homens da família. Além disso, os motoristas de táxis e ônibus do país foram aconselhados a não transportarem passageiras sem o véu islâmico.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.