Eric Clapton anuncia que não fará shows em locais que exijam vacina contra covid-19

Cantor britânico, um dos maiores nomes da história da música, disse que vem sendo boicotado por ter criticado lockdown
-Publicidade-
Eric Clapton se manifestou contra medidas de isolamento e vacinação obrigatória
Eric Clapton se manifestou contra medidas de isolamento e vacinação obrigatória | Foto: Divulgação

Crítico do lockdown e de outras medidas restritivas impostas por governos de diversos países durante a pandemia de covid-19, o cantor e compositor britânico Eric Clapton, de 76 anos, um dos maiores guitarristas da história da música, afirmou que vai cancelar shows em locais que exijam que o público esteja vacinado contra a doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo informações da revista Rolling Stone, o músico teria manifestado sua posição em uma conversa com o cineasta Robin Monotti por meio do aplicativo de mensagens Telegram.

Leia mais: “França torna obrigatório ‘passaporte da vacina’”

-Publicidade-

“Sinto-me na obrigação de fazer um anúncio pessoal: quero dizer que não me apresentarei em nenhum palco onde haja um público discriminado. A menos que haja providências para que todas as pessoas compareçam, eu me reservo o direito de cancelar o show”, afirmou Clapton.

A decisão do cantor foi tomada depois de o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, ter determinado que casas de espetáculo e outros estabelecimentos que atraiam grande público deverão exigir comprovante de vacinação contra a covid-19 de seus clientes. Em outros países europeus, como a França, o governo criou um “passe sanitário” e também está exigindo vacinação.

Leia também: “Boris Johnson entra em isolamento depois de ter contato com ministro infectado”

Clapton também reclamou da vacina da Oxford/AstraZeneca — ele já tomou as duas doses do imunizante. “Tomei a primeira injeção da AstraZeneca e imediatamente tive reações graves durante dez dias”, disse. “Cerca de seis semanas depois, tomei a segunda dose, mas com um pouco mais de conhecimento das reações. Mesmo assim, as reações foram desastrosas, minhas mãos e pés estavam congelados, dormentes ou queimando e praticamente inúteis por duas semanas. Temi nunca mais tocar.”

Leia mais: “Após duas doses da AstraZeneca, ministro da Saúde britânico testa positivo para covid-19”

O cantor britânico revelou ainda que vem sendo “boicotado” por colegas de profissão desde que se manifestou contra as medidas de isolamento social. “Tentei entrar em contato com colegas músicos, que não me respondem mais. Meu telefone já não toca mais com frequência. Não recebo mais mensagens e e-mails.”

Leia também: “Milhares vão às ruas na França contra ‘passe sanitário’ e vacinação obrigatória”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

  1. Os líderes mundiais precisam se inspirar em pessoas lúcidas assim como Eric Clapton. Só a sanidade mental salvará o mundo da segregação social que estão impondo pela vacina.

  2. Não precisamos ser obrigados a vacinar-se. Temos o instinto próprio quando temos segurança de algo. Livre arbítrio sempre deve prevalecer.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site