Revista Oeste - Eleições 2022

Irã não explicou origem de material nuclear, informa ONU

Agência acusa Teerã de não apresentar ‘respostas plausíveis’ sobre material radioativo encontrado no país
-Publicidade-
O Irã aumentou a produção de urânio enriquecido
O Irã aumentou a produção de urânio enriquecido | Foto: Reprodução

A Agência Atômica da Organização das Nações Unidas (ONU) informou nesta segunda-feira, 30, que o Irã não ofereceu respostas confiáveis à sua investigação sobre o material nuclear encontrado no país. Ainda de acordo com a ONU, o estoque de urânio enriquecido do regime iraniano cresceu quase o suficiente para produzir uma bomba nuclear.

As informações, divulgadas aos Estados membros e obtidas pelo The Wall Street Journal, aumentam as preocupações sobre o desenvolvimento nuclear do Irã. Isso porque as negociações do acordo nuclear de 2015, firmado entre Washington e Teerã, estão paralisadas. Esse tratado impôs restrições rígidas, mas temporárias, à evolução nuclear iraniana. Em troca, haveria suspensão das sanções internacionais impostas ao país.

-Publicidade-

Desde que os Estados Unidos abandonaram o acordo, em 2018, o Irã ampliou seu desenvolvimento nuclear (incluindo a produção de urânio enriquecido a 60%). Teerã também impediu em grande parte uma investigação sobre o material nuclear encontrado no país.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) criticou o fracasso do Irã em responder às perguntas sobre o material nuclear. A AIEA quer saber quais atividades produziram os vestígios de urânio, onde o material está agora e o que o Irã fez com os equipamentos que acredita estarem contaminados com vestígios radioativos. “Teerã não forneceu explicações críveis”, disse.

A AIEA informou um novo aumento no estoque de material nuclear do Irã, assim como a produção contínua de centrífugas avançadas, que transformaram urânio em material enriquecido, nas instalações nucleares do Irã.

Especialistas consultados pelo The Wall Street Journal avaliam que Teerã levaria algumas semanas para converter os 60% de material em 90% de combustível para armas. O país diz que seu programa nuclear é para fins pacíficos.

Leia mais: “Uma bomba para o aiatolá”, artigo de Dagomir Marquezi publicado na Edição 50 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Agora os EUA e ISRAEL podem atacar e invadir o Irã?!?!
    Como a OTAN fez com o IRAQUE??!
    Russia!!! Você não pode viu… só nós do “ocidente” limpinhos e integros…detemos o monopólio das virtudes humanas.
    SEUS MALVADÕES.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.