Nova Iorque remove estátua ‘racista’ de Theodore Roosevelt em entrada de museu

Monumento agora vai para a Dakota do Norte por supostamente representar a supremacia branca
-Publicidade-
Monumento do ex-presidente norte-americano estava na cidade de Nova Iorque | Foto: Jay Dobkin/Wikimedia Commons
Monumento do ex-presidente norte-americano estava na cidade de Nova Iorque | Foto: Jay Dobkin/Wikimedia Commons

A célebre estátua do ex-presidente Theodore Roosevelt foi removida da entrada do Museu de História Natural de Nova Iorque na madrugada desta quinta-feira. Um guindaste retirou o monumento do local onde, 82 anos antes, a homenagem havia sido instalada. Tanto a prefeitura da cidade quando a administração do museu haviam decidido, em junho do ano passado, que o monumento deveria ser retirado por representar a “supremacia branca”. 

Na escultura, o líder americano é representado em uma postura altiva, sobre um cavalo. Ao lado dele, em uma posição mais baixa, estão um indígena e um negro, que simbolizam as outras duas etnias que participaram da exploração do oeste dos Estados Unidos. Nos últimos anos, grupos de esquerda passaram a questionar a imagem representada pela estátua. Para eles, a figura implica uma superioridade de Roosevelt, um homem branco, sobre as outras duas figuras.

A estátua de Roosevelt é uma das mais conhecidas de Nova Iorque, e ficou ainda mais famosa por causa do filme “Uma Noite no Museu”, em que a figura do ex-presidente ganha vida. Roosevelt, do Partido Democrata, presidiu os Estados Unidos de 1901 a 1909. Ele ficou conhecido por seu interesse pelas ciências naturais, o que lhe rendeu a homenagem na porta do museu novaiorquino. Ao menos por ora, o monumento vai ser mantido na Biblioteca Presidencial de Roosevelt, na Dakota do Norte.

-Publicidade-

Em novembro do ano passado, a cidade de Nova Iorque também havia removido outra estátua famosa: a do ex-presidente Thomas Jefferson, que fora instalada em frente à sede da prefeitura há 187 anos. Neste caso, a alegação foi a de que Jefferson não merecia a homenagem por ter sido proprietário de escravos.

Leia também: “O assassinato da história”, artigo de J.R. Guzzo publicado na Edição 12 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

21 comentários Ver comentários

  1. Essas atitudes, fruto de novas e hipócritas concepções, querem impor seu modo de enxergar fatos históricos, exigindo versões que os agradem ideologicamente.
    É lamentável!

  2. Como escrevi numa publicação anterior sobre Israel e Alemanhã querer criminalizar que expressa uma opinião sobre a não existência do Holocausto, aqui prova que devemos deixar falar qualquer coisa, pois o melhor remédio contra a idiotice é escutar o bom senso e o ridículo. No caso em pauta, a ação é tão patética que fico imaginando se os EUA é ainda um lugar de pessoas realmente racionais e livres.

  3. Eu acho q deveriam transformar os EUA no Zimbabue, aí os negros e indios americanos vão estar em casa, e os brancos estarem aonde merecem por deixar um bando de bosta escolher quem deve ser homenageado, quem sabe uma estatua do xin jinping, ou mao tsetung, ou melhor, na frente do museu de ciencias, coloca um muçulmano e suas 20 esposas crianças.

  4. A supremacia dele não foi por causa da cor, mas porque era o Presidente do país. Querem supremacia maior que esta num país democrático? Bando de babacas.

  5. O que acontece em NY acontece aqui também. Recentemente tivemos uma agressão da estátua de Borga Gato em SP, um dos Bandeirantes desbravadores paulistas, ao argumento que foi um genocida de índios e negros na busca pelo ouro e outras riquezas. A história, tal como está registrada nos livros e apostilas escolares, sabemos que que só tem conteúdo do que é conveniente e interessante para uma elite dominante e predominante numa época daquilo que os nossos filhos e netos saibam, tal qual como acontece na mídia, ou seja, A VERDADE NUNCA PODEMOS E DEVEMOS SABER!
    Entretanto, também sabemos que em toda a América, toda, de norte a Sul, os europeus, (ingleses, espanhóis, holandeses, franceses, portugueses e etc..) dizimaram por completo os índios que aqui viviam, quando aqui chegaram. Os ingleses e os espanhóis foram os mais agressivos segundo o que já pesquisei. Convenientemente, alguns líderes agressores foram homenageados com estátuas. Ora, se a verdade vem a tona, e a homenagem é injusta, nada mais honesto e justo do que retirar a estátua daquele “homenageado”.
    Não podemos mais aceitar que sejamos enganados.

  6. Esquerdistas são psicopatas retardados e ignorantes, não sabem interpretar momentos históricos e evolução do pensamento. Me parecem um bando de cretinos comedores de capim. Credo gente burra.

    1. Gente burra é quem acredita e da valor ao q eles falam, e muito pior é quem não se opõe a eles, e a8nda acha certo q seja feita a sua vontade. Que o fim chegue devagar e dolorido, como um cancer q se descobre tarde de mais, porem se sentiam os sintomas.

  7. Não se reescreve a historia, pode se aprender com ela, pode se critica-la, pode se ate contesta-la….mas reescreve-la, jamais…
    Que absudo indescretivel virou esse mundo segagrocinista para poucos….para uma minoria de miopes, retardados e ofendidos com o ar que se respira…

  8. É o triste fim daquela que foi a mais pujante civilização que se tem registro na história.

    Como Roma, foi invadida por povos bárbaros e ruiu de dentro para fora. Esse desfecho, exatamente dessa forma, já vinha sendo anunciado lá pelos anos de 1990.

    Na sequência, veremos algo semelhante acontecer com a Europa, o que dará à China o status de única grande civilização, maior potência econômica e potência militar hegemônica. A Rússia será apenas coadjuvante, e o Brasil, uma província da China.

    1. Não conte tanto assim com um domínio chinês pois o dragão tem escamas de vidro. Procure por informações sobre a falência da Evergrande, a enorme dívida da China Railway Company High Speed e a falência da cidade de Hegang que você verá claros sinais que toda essa pujança econômica que a China mostrou nos últimos anos escondem dívidas que vão levar a economia de lá (e possivelmente de outros países) pro buraco.

      1. Paulo, concordo com você que a China pelo acelerado ritmo de crescimento, vai se deparar com problemas e estes citados não fosse na China seria um enorme desafio. Na economia de compadrio, ausência de democracia, o Governo intervém, toma de um, passa pro outro, e vida que segue. Com 1.5 bilhões de habitantes e uma classe média de 500 milhões de pessoas e crescendo, com desenvolvimento tecnológico acelerado, será em pouco tempo país hegemônico no Mundo. Tem mais um agravante, se USA continuarem votando em esquerdistas dementes como fizeram na última eleição, o processo se acelera.

  9. Gente é história, quer queira quer não….estão matando a história dos proprios indios e negros, nessa narrativa burra e nada democratica….se realmente quisessem acabar com o racismo e outros adjetivos que usam, façam homenagem com outras estátuas ou outro tipo…mas tentar apagar um fato é negar a história e impor uma ditadura do que consideram “verdade”. Sou descendente de negro(pai) e indigena(mãe).

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.