Obamagate pode acabar em pizza

O procurador-geral Bill Barr afirmou em entrevista coletiva desacreditar que o caso leve a investigação criminal contra Obama e Joe Biden
-Publicidade-
O ex-presidente Barack Obama | Foto: PETE SOUZA/CASA BRANCA
O ex-presidente Barack Obama | Foto: PETE SOUZA/CASA BRANCA

O procurador-geral Bill Barr afirmou em entrevista coletiva desacreditar que o caso leve a investigação criminal contra Obama e Joe Biden

A expectativa dos norte-americanos e do Partido Republicano é que os integrantes das supostas maracutaias sejam punidos
Foto: PETE SOUZA/CASA BRANCA

Os Estados Unidos estão em polvorosa depois da revelação de que o ex-presidente Barack Hussein Obama teria usado o FBI como arma política contra Trump. Além disso, na semana passada, vazou a lista de envolvidos do que ficou conhecido por Obamagate.

-Publicidade-

A expectativa dos norte-americanos e do Partido Republicano é que os integrantes das supostas maracutaias sejam punidos. Inclusive, o presidente dos EUA, Donald Trump, pediu ao Congresso para convocar o rival democrata, a fim de prestar depoimento sobre o caso.

Contudo, o procurador-geral Bill Barr sinalizou que tudo pode acabar em pizza. Nesta segunda-feira, 18, ele disse numa entrevista coletiva desacreditar que o caso leve a uma investigação criminal contra Obama e Joe Biden. Além disso, afirmou que a preocupação da Justiça é com outras pessoas.

No entanto, sem especificar quem.

“Quanto ao presidente Obama e ao vice-presidente Biden, qualquer que seja o nível de envolvimento deles, com base no que eu sei, não espero que haja investigação criminal contra ambos. Nem todo abuso de poder, por mais ultrajante que seja, é necessariamente um crime federal”, observou Barr.

O procurador-geral, ademais, garante que, enquanto ocupar o cargo, o sistema de justiça criminal não será usado para fins partidários e políticos. Não só, deseja que o país tenha uma eleição tranquila em que “o povo americano possa tomar uma decisão”.

Leia mais: A polícia política de Obama e os limites da democracia

Análise Oeste

Foto: MINGMAN SRILAKORN/STOCK PHOTO

Enquanto esta reportagem é redigida, nos Estados Unidos a hashtag “Obama or Biden” está nos trending topics do Twitter, ao somar 18 mil engajamentos.

No Facebook, o assunto adquire boa performance nas páginas da emissora Fox News e do jornal The Washington Examiner. Não há registros no Instagram acerca do assunto.

Os termos de pesquisa “Barack Obama”, “Joe Biden” e “Obamagate” foram pesquisados em todos os Estados norte-americanos nas últimas 24 horas. Cresceu 750% o termo “por que joe biden e os democratas vão perder”.

Se sobressaíram as notícias publicadas pela grande mídia, com destaque para a Fox. As projeções futuras são alvissareiras para a emissora norte-americana. Isso quer dizer que são grandes as chances de suas reportagens aparecerem no Google.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. “Nem todo abuso de poder, por mais ultrajante que seja, é necessariamente um crime federal” – frase para entrar nos anais da hipocrisia política. O Deep State de lá, tal qual o Estamento Burocrático de cá, pode tudo! E fodam-se as leis, a moral e o povo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.