Ômega-3 aumenta a expectativa de vida em 5 anos

Estudo revela como o alto e o baixo consumo do nutriente afetam a saúde radicalmente
-Publicidade-
Baixo consumo de ômega-3 é tão prejudicial quanto fumar
Baixo consumo de ômega-3 é tão prejudicial quanto fumar | Foto: Pexels-eugenia

Os efeitos positivos do ômega-3 já foram testados e comprovados pela ciência. Mas agora é possível mensurar a dimensão que esse ácido graxo desempenha na expectativa de vida — para o bem e para o mal. É o que mostra um estudo, publicado no The American Journal of Clinical Nutrition, conduzido pelo Hospital del Mar Medical Research Institute (Imim), em Barcelona, e pelo Fatty Acid Research Institute (Fari), em Sioux Falls, cidade do Estado norte-americano da Dakota do Sul.

Leia também: “Idosos na mira dos planos de saúde”

Ao longo de 11 anos, os pesquisadores acompanharam 2.240 voluntários, que foram divididos em quatro grupos. De acordo com a análise, os participantes com altos níveis de ômega-3 no sangue (acima de 8%) que não fumavam tiveram a estimativa de sobrevivência 33% mais alta. Pessoas com altos níveis que fumavam e aqueles com baixos níveis que não fumavam eram quase idênticos em termos de estimativas de sobrevivência. Finalmente, as pessoas com baixos níveis (abaixo de 4%) que fumavam tiveram a estimativa de sobrevivência mais baixa. “Ser um fumante regular tira 4,7 anos de sua expectativa de vida, o mesmo que se ganha se tiver altos níveis de ômega-3 no sangue”, diz o autor do estudo, Aleix Sala-Vila, pesquisador de pós-doutorado no Grupo de Pesquisa em Risco Cardiovascular e Nutrição do Imim.

-Publicidade-

O resultado reforça a ideia de que pequenas mudanças na dieta podem ter um efeito muito mais poderoso do que imaginávamos. “Saber o índice ômega-3 de uma pessoa é tão importante quanto medir a taxa de colesterol ou a pressão arterial”, afirmou o coautor do estudo, doutor William S. Harris, presidente e fundador da Fari, em entrevista ao Medical News Today. “E ‘consertar’ o índice de ômega-3, tomando suplementos e aumentando o consumo de peixes oleosos — como salmão e sardinha —, é muito mais fácil, barato e seguro do que tratar todos os outros fatores de risco”, acrescenta Harris.

 

 

 

 

 

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro