Pfizer testará eficácia da vacina contra nova variante sul-africana

Segundo Pfizer e BioNTech, nova cepa 'difere claramente das variantes já conhecidas porque tem mutações adicionais'
-Publicidade-
Pfizer avalia eficácia de sua vacina contra a nova variante do coronavírus
Pfizer avalia eficácia de sua vacina contra a nova variante do coronavírus | Foto: Luis Lima Jr/FotoArena/Estadão Conteúdo

A Pfizer anunciou nesta sexta-feira, 26, que já foi dado início ao processo de verificação da eficácia da vacina contra a covid-19 em relação à nova variante do coronavírus detectada na África do Sul.

Um porta-voz da BioNTech, que desenvolveu o imunizante em parceria com a Pfizer, confirmou à agência de notícias France-Presse que os fabricantes já estão estudando as características da nova cepa, a B.1.1.529.

“Esperamos mais dados dos testes de laboratório em, no máximo, duas semanas. Esses dados fornecerão mais informações sobre se a B.1.1.529 pode ser uma variante que exija um ajuste de nossa vacina se ela se espalhar globalmente”, informou a empresa.

-Publicidade-

Segundo a Pfizer e a BioNTech, a variante B.1.1.529 “difere claramente das variantes já conhecidas porque tem mutações adicionais na proteína do pico”.

“A Pfizer e a BioNTech se prepararam há vários meses para ajustar sua vacina em menos de seis semanas e entregar as primeiras doses em 100 dias se uma variante se mostrasse resistente”, afirmaram as duas companhias.

Medo global

Como noticiado por Oeste, a nova variante do coronavírus gerou pânico global, afetando principalmente o mercado financeiro e as principais bolsas de valores do mundo. As primeiras informações dão conta de que a nova cepa seria mais infecciosa que a Delta.

As bolsas europeias exibem perdas aceleradas, de mais de 2,5%. A queda reflete a preocupação sobre o potencial de novas restrições que podem limitar a atividade econômica global.

Europa suspende voos

A Comissão Europeia vai propor a suspensão dos voos da África do Sul. O anúncio foi feito hoje pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

“A Comissão Europeia proporá, em estreita coordenação com os Estados membros, ativar o freio de emergência para interromper os voos procedentes da região do sul da África devido à variante B.1.1.529”, anunciou Von der Leyen.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.