Polícias de Nicolás Maduro mataram 2.853 pessoas em 2020

É o que informa a ONG Programa Venezuelano de Educação-Ação em Direitos Humanos
-Publicidade-
Nicolás Maduro é herdeiro político de Hugo Chávez
Nicolás Maduro é herdeiro político de Hugo Chávez | Foto: Reprodução/Fotos Públicas

Ao menos 2.853 pessoas teriam sido mortas pelas diferentes corporações armadas do Estado venezuelano ao longo de 2020, denunciou nesta terça-feira, 9, a ONG Programa Venezuelano de Educação-Ação em Direitos Humanos (Provea). A corporação apontada como responsável por mais mortes é a Polícia Nacional Bolivariana (PNB), principalmente por meio do grupo de elite das Forças de Ações Especiais (Faes), cuja dissolução foi solicitada pelo Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), segundo comunicado da Provea. “A PNB foi responsável por 672 assassinatos, o que representa 23,5% do total”, destaca a ONG, que coleta esses dados como parte da iniciativa Luta pela Vida, um projeto de investigação e divulgação do impacto da violência policial e militar, focado nas execuções extrajudiciais.

O principal centro de operações das Faes são os povoados e as favelas, além de algumas zonas rurais. Logo atrás está o Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalistas (Cicpc), com 593 casos, o que representa 17,5%. Por outro lado, as forças policiais autônomas dos Estados foram responsáveis por 721 supostas execuções (25,71%), de acordo com os dados da Provea. Segundo a ONG, “chama a atenção a letalidade das polícias estaduais de Zulia, responsável por 262 assassinatos; Aragua, com 104 mortes; e Carabobo, com 101”. O projeto detectou que a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) é responsável por 359 casos durante 2020. A maioria é responsabilidade da Guarda Nacional Bolivariana (GNB), uma força policial ligada à FANB. O estudo também indica que a polícia municipal foi responsável por 134 supostas execuções. As informações são da agência espanhola EFE.

-Publicidade-

Leia também: “Em dificuldade, Maduro volta a cobrar por serviços públicos”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site