Putin ‘fecha a torneira’ do gás para chantagear Europa

Quase metade do gás natural importado pela União Europeia vem da Rússia
-Publicidade-
Gazprom, companhia estatal sob controle do líder russo, reduziu a exportação de gás natural para os países europeus
Gazprom, companhia estatal sob controle do líder russo, reduziu a exportação de gás natural para os países europeus | Foto: Reprodução

Por Gabriel de Arruda Castro, para a Revista Oeste

A Bolsa de Valores de São Paulo caiu mais de 2% nesta segunda-feira, 20, em parte devido à crise no abastecimento de gás em toda a Europa. As principais bolsas europeias também operaram no vermelho ao longo do dia. E o responsável é o governo de Vladimir Putin.

A Gazprom, companhia estatal sob controle do líder russo, reduziu a exportação de gás natural para a Europa. O volume exportado por meio do gasoduto Yama-Europe, um dos principais do continente, caiu em cerca de 90% no último fim de semana.

-Publicidade-

Quase metade do gás natural importado pela União Europeia vem da Rússia. Além de ser uma fonte de energia importante, o gás vindo da Rússia tem uma aplicação a mais durante o inverno no hemisfério norte: o aquecimento de casas e prédios. Por isso, a redução no fornecimento tem gerado incertezas. Como não é possível ficar sem o produto, os países da União Europeia precisam adquirir o gás de fontes mais caras, como a Argélia, o que tem um impacto sobre toda a economia.

Em situação econômica fragilizada, como consequência da pandemia, a Rússia tem tentado lucrar mais com o comércio de gás natural — e, para isso, reduziu a oferta de forma a aumentar o custo do produto.

Além disso, analistas enxergam na medida uma tentativa de chantagear os países europeus a firmarem contratos mais vantajosos para os russos. Um dos entraves é a liberação do Nord Stream 2, um gasoduto recém-construído e que atravessa o oceano antes de chegar à Alemanha. O projeto é questionado por seu impacto ambiental e geopolítico (o “desvio” de rota por meio do mar evita que o gasoduto passe por países como Ucrânia e Polônia). A Alemanha tem sido pressionada pela Rússia a oferecer a certificação para o gasoduto de forma célere.

Segundo o professor Argemiro Procópio, do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília, a tática russa de fechar as torneiras para obter vantagens comerciais e geopolíticas já foi usada outras vezes. “Essa diplomacia energética da Rússia com a União Europeia não é nova, mas tem passado por vários sobressaltos. E, ao contrário de muitos outros produtos que a União Europeia pode boicotar, ela não pode declarar um boicote ao gás russo porque não tem oferta suficiente de outros países”, explica ele.

Nos últimos anos, a leitura dos analistas era a de que dificilmente a Rússia adotaria uma estratégia mais radical (de subir significativamente o preço do gás ou de reduzir radicalmente os envios para a União Europeia) porque o país de Putin depende economicamente das vendas de gás para a Europa. Entretanto, a situação tem mudado nos últimos anos graças à ascensão da China. “Existe outro ator hoje nesse comércio do gás, e de olhos abertos. Se a Europa não quiser, a China compra amanhã. O gás é sumamente importante para o desenvolvimento não só europeu e também o chinês”, afirma o professor Procópio.

Apesar da oscilação na Bolsa de Valores, as repercussões dessa queda-de-braço para o Brasil são menos evidentes. Para o professor, as oscilações na bolsa têm mais a ver com a especulação do que com impactos concretos da queda de braço na Europa — a não ser que a crise se prolongue e se aprofunde, afetando a capacidade de investimento as empresas europeias.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Veneraram uma comunista rosa e troglodita durante anos e acharam que ser “verdes do bem” é fofo ? Agora toma. Até os franceses que tem 87% de sua fonte de energia proveniente de energia nuclear vão poder tomar “banho quente” neste e outros invernos sem depender do tirano russo. E quem é o presidente do board de acionista da Nordstream AG indicado pela Gazprom? O ex-chanceler “Gerhard Schröder”. Deve logo ser substituído por Madame Merkel.

  2. Empresas estatais, como é o caso da Gazprom russa, sempre nas mãos de tiranetes, corruptos ou incompetentes, o que significa que nem sempre a administração será positiva ao País ou a quem quer que seja, e sempre estará sujeita a objeto de manobra espúria do núcleo no poder!

  3. Brasil dependente das exportações de commodities alimentares para a China; Europa dependente do gás russo, deverão se aquecer neste inverno com lenha mesmo ou carvão, mas aí não pode porque eles tem uma meta a cumprir com a COP26. Enfim, tudo se resume em dependência excessiva das economias de forma individual. Mais uma demonstração que esse tal globalismo não funciona.

  4. Um suspende a importação da carne, outro suspende a exportação de gás.
    E vamos votar nos esquerdistas, afinal eles não nos impõem que devemos trabalhar.
    Vamos viver de maná.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.