Rússia ensaia lançamento de mísseis com capacidade nuclear

Segundo o Ministério da Defesa, o arsenal está 'pronto' para ser utilizado se for necessário
-Publicidade-
Míssil intercontinental Sarmat, desenvolvido pela Rússia
Míssil intercontinental Sarmat, desenvolvido pela Rússia | Foto: Divulgação

A Rússia, por meio do Ministério da Defesa, confirmou na quarta-feira 4 que as forças militares do país ensaiaram lançamentos de mísseis com capacidade nuclear. A simulação aconteceu no enclave de Kaliningrado.

Essa não é a primeira vez que a Rússia faz testes com armas nucleares desde que o país invadiu a Ucrânia. No dia 20 de abril, as autoridades russas realizaram o primeiro teste de lançamento do míssil balístico de alcance intercontinental Sarmat, em desenvolvimento há anos.

Depois que a guerra teve início, o presidente russo, Vladimir Putin, também já falou sobre a possibilidade de usar armas nucleares. Segundo Putin, o arsenal está “pronto” para ser utilizado se for necessário.

-Publicidade-

Quando invadiu a Ucrânia no dia 24 de fevereiro, Putin fez uma referência direta às forças nucleares da Rússia e alertou os países do Ocidente que qualquer tentativa de entrar no caminho “levará a consequências que vocês nunca encontraram em sua história”.

O ensaio dessa quarta-feira aconteceu durante os jogos militares no enclave do Mar Báltico, localizado entre a Polônia e a Lituânia. Segundo o Ministério da Defesa, o teste foi de “lançamentos eletrônicos” simulados do sistema móvel de mísseis balísticos Iskander, com capacidade nuclear.

O comunicado do ministério afirma que as forças russas praticaram ataques únicos e múltiplos contra alvos que simulavam sistemas de lançamento de mísseis, pistas de pouso, infraestrutura protegida, equipamentos militares e postos de comando de um inimigo. Após os lançamentos “eletrônicos”, os militares realizaram manobras para mudar de posição, a fim de evitar “um possível ataque de retaliação”, acrescentou o ministério.

As unidades de combate também praticaram “ações em condições de radiação e contaminação química”. Mais de 100 soldados participaram dos testes.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Parece que não há mais nada o que fazer na Rússia. Toda hora testando armas, mísseis, bombas nucleares, ameaças a todo mundo e de todo tipo. Será que Putin sabe como está vivendo o povo russo? Na verdade isso não interessa, quem manda é ele e pronto. Tenho pena desse povo que não pode opinar, não pode votar, não pode se integrar com o ocidente. É uma pena que uma cultura tão rica e que tem tanto a ensinar esteja totalmente subjugada por um tirano absolutista.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.