Tensão na Ucrânia: Otan envia navios e jatos ao Leste Europeu

Aliança militar ocidental informou que continuará a adotar todas as medidas necessárias para proteger seus aliados
-Publicidade-
A Espanha está se mobilizando para reforçar o poderio militar de Kiev
A Espanha está se mobilizando para reforçar o poderio militar de Kiev | Foto: Reprodução/Twitter

Os países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) anunciaram nesta segunda-feira, 24, o envio de aviões e navios ao Leste Europeu, para contrabalançar a concentração de tropas russas na fronteira com a Ucrânia. Em comunicado, a aliança ocidental informou que continuará a adotar as medidas necessárias para proteger e defender todos os aliados.

Ainda de acordo com a Otan, outros países estão se mobilizando para reforçar o poderio militar de Kiev. A Espanha, por exemplo, enviou navios de guerra para perto da fronteira ucraniana e avalia mandar aviões de combate para a Bulgária. A Dinamarca, por sua vez, planeja enviar uma fragata para o Mar Báltico e mobilizar quatro caças F-16 para a Lituânia. A França também manifestou sua disposição de enviar tropas para a Romênia. Enquanto isso, a Holanda enviará dois caças F-35 para a Bulgária, a partir de abril, para apoiar as atividades de vigilância aérea da Otan na região. Os Estados Unidos também planejam aumentar sua presença militar no Leste Europeu, disse Jens Stoltenberg, secretário-geral da Otan.

Ucrânia, a razão do conflito

-Publicidade-

Como noticiou Oeste, o impasse nas negociações entre Estados Unidos e Rússia sobre a situação geopolítica da Ucrânia deixou a Europa à beira de um conflito bélico. As saídas diplomáticas estão se esgotando, e a possibilidade de uma guerra não está descartada. Clique aqui para ler a reportagem completa.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. O maior dilema que enfrentam os americanos é ter que enviar recursos militares para a Ucrânia e ao mesmo tempo garantir a não invasão de Taiwan pela China Comunista. Terão que se movimentar em duas frantes, tal como na 2ª guerra mundial. Mas lá eram outros tempos.

  2. A OTAN deveria ter ocupado o Leste europeu quando a URSS se desintegrou e a Rússia estava falida. Ela abandonou um cosmonauta em órbita e depois, pasmem, pediu para entrar para a OTAN. Em trinta anos a Rússia se reergueu, se fortaleceu economicamente e militarmente, e agora reivindica direito ao espólio da URSS. Já ocupou a Crimeia.

    No mesmo momento da História, Biden joga a credibilidade dos EUA no lixo, ao se retirar atabalhoadamente do Afeganistão. China e Rússia não perderam tempo e já estão de braços dados com os invencíveis inimigos da América.

    Agora essa queda de braço na Ucrânia será o teste definitivo para a OTAN. Se ela não cumprir o objetivo de proteger a Ucrânia, irá se desintegrar, e abrirá espaço para expansão imperialista chinesa. Parte da Europa já tem manifestado desejo de criar sua própria aliança de defesa independente da OTAN.

    A determinação de cada lado se avalia pela quantidade de soldados enviados para o combate. Quem não está disposto a sangrar pela sua causa e envia apenas algumas máquinas de guerra, demonstra menor determinação. Uma frase foi manchete de capa de revista quando os ingleses reconquistaram as Malvinas. Algo como: “Será um homem a pé que irá arrancar o inimigo de sua toca e o fará assinar um termo de rendição”.

    Quando a OTAN posicionar uns 100 mil homens em território ucraniano, ai sim, eu vou acreditar que existe uma determinação em defender a Ucrânia.

  3. Finalmente a Oeste colocou um link para uma explicação sobre o impasse, porque já estava ficando feio pela impressão de pintarem a Rússia de “malvadona” nessa situação. E geopolítica não tem “malvadão”, tem interesses que precisam ser explicados.

    A OTAN está abusando faz tempo. O que acontece agora (desde a Síria) é que a Rússia deixou de ser besta e ficar assistindo a OTAN colocando base em tudo que é canto da região. A China já tinha alertado os EUA que estava de olho em suas manobras de expansão, isso há uns dois, três anos.

    Você tem, também, Israel dizendo abertamente que deseja atacar o Irã e sequências de “provocações”, porque a OTAN não tem “coragem” de iniciar um ataque, temendo a revolta popular mundial e a perda de seu status de “guardiã do mundo livre”. Então eles precisam de um motivo, como as armas de destruição em massa do Saddam que jamais foram encontradas (tem até filme sobre isso: Green Zone, de 2010).

    A Rússia está se protegendo e essa beligerância da OTAN já encheu o saco há vários anos. Não conseguem sossegar o rabo porque precisam movimentar o mercado de armas e as bolsas de valores.

    Se alguém ainda acha que isso é briga contra “comunismo russo”, olha bem para os governos dos países membros da OTAN.

      1. A OTAN acha que pode encher de armas a Ucrânia fazendo fronteira com a Rússia e o Putim não ia fazer nada? Não permitem que os russos nomeiem alguém da confiança deles para o governo ucraniano, mas exigem que seja colocado alguém do interesse deles? E a mídia entrando no jogo dos globalistas que querem o mundo sob o seu domínio 😒

  4. Putin provou que pode estacionar tropas na fronteira com a Ucrânia.
    A OTAN provou que pode responder com a mesma força.
    Os dois lados devem estar muito felizes.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.