Trump suspende ajuda financeira dos EUA para OMS

Trump afirmou que se a OMS tivesse feito o seu trabalho de levar especialistas médicos para a China para avaliar a situação do terreno e investigar o vírus, isso salvaria inúmeras vidas e danos econômicos.
-Publicidade-

Para o presidente americano a organização não fez um bom trabalho para impedir a pandemia

Donald Trump | Foto: Gage Skidmore
-Publicidade-

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que mantém a sua decisão de cortar temporariamente o financiamento para a Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com o chefe de Estado, a organização não fez um bom trabalho para impedir a pandemia.

“A OMS não conseguiu obter, verificar e compartilhar informações” e “não investigou a China”, disse Trump.

O presidente também afirmou que ainda em dezembro de 2019, havia “informações críveis” de que o vírus seria transmissível de uma pessoa para outra, mas que a OMS desprezou a gravidade da ameaça e não respondeu de maneira apropriada.

“Tantas mortes foram causadas por seus erros”, acusou Trump.

Na semana passada, como foi noticiado por Oeste, o deputado republicano Guy Reschenthaler apresentou um projeto de lei exigindo que o Congresso norte-americano retenha o financiamento dado à Organização Mundial da Saúde  até que seu diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, renuncie ao posto.

A proposição da medida ocorreu depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, criticou a OMS, chamando a organização apoiada pelas Nações Unidas de “muito centrada na China”.

Em artigo publicado por Oeste, Alexandre Borges expões as entranhas da Organização Mundial da Saúde e de seu presidente, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que traz desconfiança não apenas para o Estados Unidos, mas para o mundo. Afinal, a eleição do etíope para o comando da OMS  foi amplamente apoiada pelo governo chinês, o segundo maior patrocinador da organização depois dos Estados Unidos.

Em um outro artigo escrito por J.R. Guzzo para Oeste, o jornalista acrescenta:  “o governo da China não apenas mentiu, dizendo, repetidas vezes, que não havia epidemia nenhuma. Prendeu médicos e cientistas que alertaram sobre o vírus. Pesquisadores sumiram e nunca mais foram vistos até hoje.”

Mas como o próprio Guzzo nos lembra, “o presidente do Senado, o ministro Gilmar e a mídia que imagina saber das coisas nos dizem que eles [OMS] são a autoridade número 1 da saúde mundial. Eis aí o Brasil ignorante, subdesenvolvido e destinado, sempre a ser o último a saber.”

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.