A CPI da Covid quer exterminar o governo federal

Investigação serve, unicamente, para atender aos interesses pessoais dos senadores que administram a comissão
-Publicidade-
Randolfe Rodrigues, à esquerda, acompanhado de Renan Calheiros e Omar Aziz
Randolfe Rodrigues, à esquerda, acompanhado de Renan Calheiros e Omar Aziz | Foto: Edilson Rodrigues/Ag. Senado

(J. R. Guzzo, publicado no jornal O Estado de S. Paulo em 30 de junho de 2021)

Desde o seu primeiro minuto, ou antes mesmo de começar, a “CPI da Covid” deixou evidente que tinha dois propósitos. O primeiro era esconder a corrupção em larga escala praticada pelas “autoridades locais” no uso das verbas públicas destinadas ao combate da epidemia. O segundo era servir de palanque eleitoral para os senadores que organizaram a comissão e controlam as suas operações. A recusa intransigente dos governadores em deporem na CPI, com a bênção do STF, diz tudo o que há para dizer sobre o ocultamento da ladroagem. O uso político dos chamados “trabalhos” acaba de ganhar um “plus a mais”, como se diz, com o pedido de prorrogação das investigações por mais três meses após 7 de agosto, quando se encerra o seu prazo legal.

Se a prorrogação for aprovada, serão seis meses inteiros, até 7 de novembro, desse espetáculo que tem sido exibido todos os dias no noticiário. Isso não contribui em coisa nenhuma com a apuração da verdade sobre a covid no Brasil. Serve, unicamente, para atender aos interesses pessoais dos senadores que administram a CPI e que estão empenhados numa guerra de extermínio contra o governo federal. Em 50 dias de funcionamento, a investigação do Senado não descobriu um único fato objetivo capaz de comprovar qualquer responsabilidade, por parte de qualquer autoridade do governo, em qualquer coisa com alguma relevância no assunto. Se não descobriu nada até agora, não foi, obviamente, por falta de tempo, nem de recursos ou de autoridade. Para que, então, querem mais 90 dias de função, depois do encerramento do prazo?

-Publicidade-

Desde que começou a funcionar, em 7 de maio, a CPI não foi impedida de ouvir ninguém — a não ser as “autoridades locais” que está protegendo. Não foi proibida ou cerceada de fazer o que quer que seja. Chamou quem quis chamar. Fez as perguntas que quis fazer. Gastou os recursos que exigiu. Quebrou sigilos telefônicos e bancários. Insultou, ameaçou e humilhou em público os convocados que fazem parte da sua lista negra. Tem mais 40 dias de funcionamento pela frente. Do que mais ela necessita?

Cerca de um mês e meio antes de acabar o seu prazo legal de atividade, os controladores da CPI já sabem que precisam de mais 90 dias para o seu inquérito. Não fornecem, é claro, nenhuma explicação sobre essa certeza. Nem é preciso. O que querem está mais do que claro, desde sempre.

Leia também: “A CPI da Covid nasceu morta, porque nasceu mal-intencionada”, artigo de J. R. Guzzo publicado em Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

14 comentários

  1. Seria interessante saber quanto custa essa cpi para o contribuinte. O valor gasto com este circo não seria melhor aplicado no combate da pandemia?

  2. E bem isto. Só que o governo demorou para agir. Com guerrilha processual se enfrenta também com guerrilha processual. Um número razoável de políticos estão enrolados na justiça com processos engavetados. O Randolfe relatou a MP da Covaxin e deveria quebrado seu sigilo bancário e telefônico e investigá-lo (exemplo). O caso da demora das vacinas deveriam processar políticos e imprensa para que eles se omitiram de forma proposital a informar o público que vacina tem que ser aprovada pela ANVISA quando elas forem fabricadas e comprovadas cientificamente, além do que era necessário para conservá-las. O REnan já teria sido processado e pedido ao STF para não ser o relator e o presidente também. Não sei se as ministras que gostam de investigar fofocas receberiam as denúncias, mas era algo necessário para enfrentar o combate. Agora já é tarde de mais, o palco está pronto para um novo espetáculo e teremos meses e anos de pura guerra política-ideológica. Os brasileiros não aguentam mais.

  3. NÃO HÁ PAÍS QUE PROGRIDA COM TANTOS POLÍTICOS QUE NÃO PRESTAM, ELEITOS POR GENTE QUE NÃO PRESTA.

    A FAXINA GERAL ESTÁ INACABADA DESDE ANTES DO REGIME MILITAR, A DITADURINHA DE MERDA, E PARA REFORMAR ESSA NAÇÃO NÃO SERÁ COM FLORES E AMORES.

  4. 07 senadores que fazem parte desta comissão são vigaristas e muitos envolvidos em roubar dinheiro público. Possuem apoios importantes no STF. São bandidos querendo voltar ao poder, não voltarão, vão levar o país para uma guerra civil, mas não voltarão.

  5. E queria saber porque a justiça não determina uma cota de quantidade de viado para jogar também.. tem que ter 30% de viado e 20 % de sapatão… Se não está errado… Este é o Brasil que temos.

  6. Nos arrependerem, como se arrependeram e se culpam os venezuelanos.
    Eles nos avisaram!
    Esses políticos que sustentam essa “aventura” tbm se arrependerão é claro!
    Todo o seu egoísmo e impatriotismo não caberão em suas frustrações, quando o globalismo os exterminarem.

  7. Onde anda o Presidente do Senado que assiste calado as barbaridades dessa CPI. Não percebeu que é a Instituição que está perdendo o pouco, quase nada, de crédito que poderia ter com a população. #trocatudo em 2022

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site