A falácia do imposto sobre grandes fortunas

Sim, vai distribuir renda, mas essa renda irá todinha para o bolso dos magnatas da máquina estatal
-Publicidade-
Foto: Reprodução/Mídias sociais
Foto: Reprodução/Mídias sociais

(J.R. Guzzo, publicado no jornal O Estado de S.Paulo em 23 de janeiro de 2022)

Nada mais fácil de se encontrar neste país, nos dias de hoje, do que um defensor apaixonado do “imposto sobre grandes fortunas”. Imaginem só: os próprios donos dessas grandes fortunas, com as suas sensibilidades sociais subitamente chocadas, dizem que querem pagar mais imposto — algo que jamais se ouviu desde que o primeiro faraó cobrou o primeiro centavo para ajudar na construção da primeira pirâmide. O ato de contrição foi feito em público numa dessas reuniões internacionais periódicas em que milionários, durante 15 minutos, fazem e ouvem discursos para melhorar o mundo. “Forcem-nos a pagar mais impostos”, pediu ali, em abaixo-assinado, um grupo de cem bilionários e milionários angustiados por serem tão ricos como são. Os apóstolos do “imposto sobre grandes fortunas” ficam encantados com essas coisas. É a prova, dizem eles, de que está mais do que na hora de “debater o tema”.

-Publicidade-

Ninguém é bobo. Se o sujeito tem US$ 100 bilhões no bolso, e diz que topa ficar só com US$ 99,5 bilhões para tornar o mundo mais igual, todo mundo sabe que não vai acontecer absolutamente nada — nem ele vai ficar mais próximo do “homem comum” nem a sociedade vai ficar menos desigual. É pura hipocrisia. Quem prega o novo imposto sabe muito bem que não vai pagar nem um real a mais — a coisa será desenhada, é claro, de forma a não atingir quem está escrevendo a lei. Os que eventualmente terão a pagar não vão sentir diferença; podem até dar uma gorjeta, para arredondar a sua parte. Pior que tudo: a população humilde a quem a nova arrecadação deveria beneficiar não vai ver um átomo sequer desse dinheiro. Os políticos, como sempre, dirão que o imposto servirá para “distribuir renda”. Sim, vai distribuir renda, mas essa renda irá todinha para o bolso dos magnatas da máquina estatal.

A conversa sobre o imposto das grandes fortunas fica particularmente surreal neste momento em que um relatório obtido por O Estado de S. Paulo revela que os salários em empresas estatais controladas pela União podem chegar aos R$ 145 mil por mês. O salário médio na estatal Pré-Sal Petróleo S.A., por exemplo, é de R$ 34 mil mensais — imaginem, então, o máximo. Há pouco soube-se que há procuradores do Ministério Público levando R$ 400 mil por mês, e juízes de direito com mais de R$ 100 mil — sem contar com o R$ 1,6 milhão que o ministro Luiz Fux gastou em 2021 unicamente com o aluguel de jatinhos para levá-lo ao Rio de Janeiro (e trazê-lo de volta) a cada fim de semana. O que você acha que vão fazer com o dinheiro dos milionários? Vai ter procurador ganhando R$ 500 mil.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários Ver comentários

  1. Chega de impostos, estamos criando uma casta de funcionários públicos, que se borram com tantas mordomias , chega , querem ajudar os mais pobres , tirem impostos do arroz, feijão carne e tantos outros alimentos.

  2. Aquele que enriqueceu licitamente e adquiriu vultuoso patrimônio, sem sombra de dúvida já foi tributado, seja como pessoa física ou jurídica.

    O imposto sobre grandes fortunas seria um caso típico de bitributação e, com certeza, duplamente mal empregado.

  3. É a mesma receita fracassada de todos os Países comunistas, estatais inchadas estagnação da economia, taxação de grandes fortunas conquistadas com trabalho pelo contrario deles, nivelamento por baixo da sociedade, sem perspectiva de crescimento como é Cuba!! só não entendo como nossos empresários, nossa midia estão caindo nesta armadilha nesta alienação, estão achando que vão ganhar dinheiro com o Lula e o PT kkkkk, aguardem eles não vão cometer o mesmo erro, ficaremos todos miseráveis e só os amigos do Rei com tudo. Apenas um adendo este analfabeto conseguiu ser alguém e chegar a ser presidente graças a democracia e a liberdade que temos e que eles querem acabar.

  4. Riqueza, mesmo que nos bolsos alheios, será sempre bem vinda. O que não se pode, o que deve ser combatido e classificado como crime em lei é a espoliação.

  5. Teríamos que ter uma reforma administrativa pra valer mas, com esse congresso….e, infelizmente na próxima eleição vai ter mais candidatos financiados pelo “esquema”, ou seja, continua valendo o bordão “Brasil, pais do futuro????????????”

  6. Esses Marxistas adoram criar taxas, dizem ajudar o pobre mas criam taxas estratosfericas pra mineirar o povo, Taxa de Moto: R$250 + inventam o tal simulador na auto escola pra aumentar o preço + renovação a cada 5 anos + exames pra quem quer trabalhar com direito a escalpe no couro cabeludo, aí o cara arruma uma 50cc pra evitar carteira e imposto, aí vem o PT novamente e exige CNH e auto escola pra pilotar qualquer coisa. E dizem ajudar o pobre pq cola, dizem uma coisa e fazem outra completamente oposta, impedem o pobre de todas as formas de crescer como cidadão e ser independente.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.