Após postagem de Bolsonaro, governadores sobem o tom

Reação ocorre após postagem do presidente que mostra os repasses feitos pelo governo federal a cada Estado
-Publicidade-
Presidente Jair Bolsnaro
Presidente Jair Bolsnaro | Foto: Alan Santos/PR

Um grupo de 16 governadores divulgou nesta segunda-feira, 1º, uma nota classificando de “distorcida” a postagem do presidente Jair Bolsonaro que detalha repasses feitos pelo governo federal a cada Estado.

Os governadores destacam que os repasses são uma “obrigação constitucional” e que, em meio à crise provocada pela covid-19, a parcela efetivamente enviada para a área de saúde foi “absolutamente minoritária”.

-Publicidade-

Leia mais: “Prefeito de Florianópolis tenta justificar viagem a Cancún em meio à pandemia”

“Os Governadores dos Estados abaixo assinados manifestam preocupação em face da utilização, pelo Governo Federal, de instrumentos de comunicação oficial, custeados por dinheiro público, a fim de produzir informação distorcida, gerar interpretações equivocadas e atacar governos locais”, diz a nota.

Entre os governadores que assinam o documento, estão opositores de Bolsonaro, como o governador de São Paulo, João Doria, e aliados, como Cláudio Castro, do Rio de Janeiro, Ratinho Junior, do Paraná, e Ronaldo Caiado, de Goiás.

“Em meio a uma pandemia mundial de proporção talvez inédita na história e a uma gravíssima crise econômica e social, a prioridade parece ser criar confrontos, construir imagens maniqueístas e minar ainda mais a cooperação federativa essencial aos interesses da população”, seguem os governadores.

O texto é subscrito pelos governadores de Alagoas, Amapá, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.